Palestinos são brutalmente reprimidos enquanto plantam em terras ameaçadas por Israel

A- A A+


Palestinos do vilarejo de Asir al-Qibliya protestam contra o saque de suas terras por Israel e são brutalmente reprimidos por soldados sionistas. Foto: Tasmin

Nos dias 18 e 25 de setembro, manifestantes palestinos se reuniram no vilarejo de Asir al-Qibliya, ao sul da cidade de Nablus, na Cisjordânia, para arar e plantar oliveiras (árvore símbolo da Palestina) em terras ameaçadas de serem expropriadas pela colonização israelense. O ato simbólico foi violentamente reprimido nas duas semanas seguintes por colonos judeus e por forças da ocupação, ferindo gravemente pelo menos um manifestante no rosto.

Nas imagens divulgadas do protesto, é possível ver que os manifestantes, carregando bandeiras da Palestina, não se acovardaram diante da violência colonial, e responderam à sua capacidade no momento, enfrentando a repressão com pedras. Pelo menos sete palestinos, incluindo um fotojornalista que trabalha para o monopólio de imprensa indiano Anadolu, Nidal Shtayyeh, foram feridos por balas de borracha. 

“O que aconteceu hoje é que, assim que os participantes chegaram às nossas terras ameaçadas de confisco, o exército israelense lançou granadas de atordoamento e gás lacrimogêneo, e ocorreram confrontos entre nós, como podem ver”, narrou Falah Yassin, membro do conselho da aldeia de Asira al-Qibliya, à agência de notícias Ruptly. 

“Quando fomos arar a terra hoje, o exército israelense nos atacou com gás lacrimogêneo, bombas sonoras e balas de borracha”, e os participantes dos proprietários de terras ficaram feridos”, disse Hakima Hassan, palestino que também participou do protesto organizado pela Comissão de Resistência do Muro e dos Assentamentos. Ele completou dizendo ainda: “continuaremos seguindo isso porque este é nosso direito legal”.

Próximo à Asira al-Qibliya foi construído o assentamento colonial israelense de Yitzhar, erguido sobre terras que pertenciam à aldeia palestina e foram saqueadas pelas “autoridades” sionistas. Há diversos relatos de ataques perpetrados pelos colonos judeus contra os habitantes palestinos, que historicamente ocupam a região antes da sua chegada.

O fotojornalista Shtayyeh, que ficou com a perna machucada, relatou que foi tratado por equipes médicas palestinas e narra que é a segunda vez em cinco meses que é ferido pelas forças israelenses enquanto exerce seu trabalho. Em maio, Shtayyeh foi ferido no pé por uma bala de borracha enquanto cobria as manifestações semanais em Kafr Qaddum.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza