Chile: Policial joga manifestante de ponte e povo se rebela contra covardia

A- A A+

Jovem manifestante é empurrado de uma ponte pela polícia militar durante um protesto em Santiago do Chile. Foto: Alvaro Santa Ana / AFP.

No dia 2 de outubro a polícia militarizada do Chile (chamada de Carabineros), durante a repressão de uma manifestação na capital do país, jogou um jovem manifestante de 16 anos de idade de uma ponte de sete metros de altura. Diante de tamanha brutalidade e covardia, as massas do Chile se rebelaram em uma série de novos protestos.

No dia 05/10, centenas de pessoas se manifestaram na Plaza Italia (rebatizada de “Praça da Dignidade” pelos próprios manifestantes). Com a juventude em revolta erguendo barricadas, o tráfego foi suspenso em vários pontos da capital, assim como foram fechadas estações de metrô, diante do medo do velho Estado da rebelião das massas.

Já no dia 4, cinco pessoas foram presas durante um ataque contra a delegacia da cidade com bombas incendiárias e outros objetos, durante protestos em Puente Alto no período da manhã. Além disso, cerca de 150 pessoas pararam um ônibus Transantiago, desceram os passageiros e atearam fogo no veículo.

Mais tarde, na Praça da Dignidade em Santiago, mais protestos multitudinários ocorreram, com dezenas de manifestantes enfrentando a brutalidade e repressão policial da Polícia de Choque, destacada para conter a revolta das massas.

Dezenas de manifestantes enfrentam a polícia de choque durante um protesto na Plaza Italia, localizada no centro da cidade de Santiago, Chile, em 3 de outubro de 2020.  Foto: Cristobal Saavedra Vogel - AA.

Um dia antes, em Puente Alto, outra manifestação aconteceu na Praça de Armas Manuel Rodríguez. Barricada em chamas foram erguidas, bloqueando o tráfego na avenida Concha y Toro.

No mesmo dia 3, uma manifestação de estudantes da Universidade do Chile ocorreu na Clínica Santa Maria, em Santiago, onde estava internado o jovem manifestante atirado da ponte por um carabinero. Os Estudantes entoavam palavras de ordem em apoio ao jovem, assim como contra a polícia militar.

Jovem atirado da ponte sofre traumatismo craniano

Manifestantes e profissionais voluntários tentam resgatar o jovem. Foto: EFE/ Sebastian Silva.

No dia 02/09, milhares de pessoas se reuniram na Praça da Dignidade em Santiago, para protestar contra a velha ordem de exploração e opressão, dando continuidade aos protestos que começaram há um ano atrás, no dia 18 de outubro.

Durante o protesto, houveram confrontos entre os manifestantes e os carabineros, com 21 manifestantes presos e 18 carabineros feridos, de acordo com informações oficiais. 

Em um contexto de dispersão do protesto, um carabinero prensou o manifestante contra a grade, o levantando e o jogando da ponte. Os vídeos mostram, inclusive, que após a sua queda, quem tentou ajudar o jovem foram outros manifestantes e profissionais voluntários dos protestos, enquanto os Carabineros apenas observavam a comoção.

O jovem sofreu perda de consciência, fraturas no pulso e traumatismo craniano. 

Um relatório do Ministério Público com dados atualizados até março, das 493 pessoas denunciadas por diversos crimes cometidos por agentes do Estado, 444 pertencem aos Carabineros, 30 à Polícia de Investigação, 13 ao Exército, quatro à Marinha e duas a outras instituições.

Desde o início das manifestações em outubro de 2019, 31 pessoas já foram mortas devido à ação truculenta dos Carabineros durante os protestos.

Veja aqui imagens das manifestações entre os dias 2 e 5 de outubro:

Manifestantes atacam um blindado dos Carabineros em Santiago, Chile, em meio a protestos no dia 2 de outubro de 2020. Foto: Ivan Alvarado / Reuters.

Policiais chilenos prendem um manifestante durante um protesto em reação ao vídeo que mostra um policial empurrando um jovem de uma ponte no dia anterior em um protesto em Santiago. Foto: AP / Esteban Felix.

Dezenas de manifestantes enfrentam a polícia de choque durante um protesto na Plaza Italia, localizada no centro da cidade de Santiago, Chile, em 3 de outubro de 2020.  Foto: Cristobal Saavedra Vogel - AA.

Dezenas de manifestantes enfrentam a polícia de choque durante um protesto na Plaza Italia, localizada no centro da cidade de Santiago, Chile, em 3 de outubro de 2020.  Foto: Cristobal Saavedra Vogel - AA.

Um policial empurra uma mulher durante um protesto em reação ao vídeo que mostra um policial empurrando um jovem de uma ponte em um protesto em Santiago, Chile. Foto: AP / Esteban Felix.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza