Com sucateamento geral, governo 'negociou' direitos de transmissão milionário para promover presidente

A- A A+


Bolsonaro posa com Neymar; o jogador foi acusado de estupro em 2019. Foto: Reprodução Twitter

Em meio a diminuição do auxilio emergencial, e a falta de investimento na saúde durante a crise da Covid-19 e discursos de falta de caixa, o Governo Federal negociou a compra dos direitos de transmissão da partida de futebol entre as seleções do Peru e do Brasil no dia 13 de outubro.

Os valores não foram divulgados, porém o que se sabe é que o monopólio de imprensa Globo desistiu da transmissão pois a Federação Peruana de Futebol (FPF) com o intermédio da empresa espanhola Mediapro, pediu o valor de R$ 14 milhões para ceder o direitos, e a milionária empresa brasileira desistiu da negociação por considerar o valor alto demais. Com isso o jogo não iria ser transmitido para a TV aberta, contudo às 19h50 o presidente da corrupta Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, comunicou a ao secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Fabio Wajngarten, que conseguiu negociar os direitos, com isso, ele atendeu a uma ordem dada pelo próprio governo Bolsonaro, que viu no jogo uma forma de auto promoção da imagem do presidente. A partir de então, foi montada uma operação para que o jogo que aconteceu às 21h, fosse transmitido pela estatal TV Brasil.

Iniciada a transmissão, o narrador, André Marques e o comentarista, Márcio Guedes, fizeram questão de exaltar o presidente fascista Bolsonaro e o Governo Federal pelo "esforço" feito para transmitir o jogo da seleção da CBF. Durante a transmissão foi mandado abraço especial para Jair Bolsonaro, além de o narrador ler uma nota oficial do governo, no texto ele fala "Em nome da Secretaria Especial de Comunicação Social da Empresa Brasil de Comunicação e do secretário Fábio Wajngarten, agradecemos à CBF, nas pessoas do presidente Rogário Caboclo, do secretário-geral Walter Feldman e do diretor Eduardo Zerbini. E um abraço especial também ao presidente Jair Bolsonaro, que está assistindo ao jogo".

Ainda aproveitando-se da audiência, no intervalo da partida houve propagandas positivas para o governo, como as sanções feitas pelo fascista Bolsonaro, e um vídeo do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, falando sobre as queimadas no Pantanal. A transmissão da partida foi muito comemorada pelos governistas, tanto que no Twitter o fascista filho Eduardo Bolsonaro escreveu "Se @tvbrasilgov não tivesse sido sagaz e fechado a transmissão de Peru x Brasil ficaríamos sem ver esse jogo em tv aberta".

Segundo especialista, o uso da Empresa Brasileira de Comunicações (EBC), responsável pela TV Brasil, pode acarretar crime de responsabilidade do presidente "pela Constituição, a publicidade oficial deve ter caráter educativo, informativo e social. Não pode ter promoção do agente público ou de qualquer outro servidor, como o presidente ou um ministro", afirmou Thiago Lima Breus, professor adjunto de Direito Administrativo e Gestão Pública da UFPR, em entrevista ao site do monopólio de imprensa UOL.

Apelando para o populismo barato, Bolsonaro segue a cartilha da corja da qual faz parte, assim como o execrável general Emílio Garrastazu Médici, que usou da seleção de futebol durante os anos 70 para alavancar o regime militar fascista, o fascista júnior tenta com menos destreza repetir o método reacionário para encobrir sua incompetência e o desastre que é o seu governo.


Médici posa ao lado Pelé que foi usado como garoto propaganda durante o regime militar

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza