Canadá: Movimento Estudantil organiza solidariedade à LCP em Toronto


Militantes do MER e apoiadores da OSCF realizam manifestação em apoio ao Acampamento Tiago dos Santos e à LCP. Foto: Revolutionary Students Movement - Toronto. 

No bairro Little Brazil, em Toronto, foi realizada uma manifestação em solidariedade aos camponeses do Acampamento Tiago dos Santos e da Liga dos Camponeses Pobres (LCP), no dia 17 de outubro. Organizada pelo Movimento Estudantil Revolucionário (MER) de Toronto, a manifestação contou com a presença de apoiadores da Organização de Solidariedade Canadá-Filipinas-Toronto (OSCF) e outros simpatizantes da luta camponesa no Brasil.

Discursos foram feitos por militantes de ambas organizações. O apoiador da OSCF trouxe à tona os paralelos entre o Brasil e as Filipinas, afirmando que, assim como no Brasil, o “problema da propriedade da terra é hoje a maior contradição nas Filipinas. Os camponeses, que constituem cerca de 75% da população total das Filipinas, vivem e trabalham em terras que muitas vezes são propriedade de uma classe minúscula de grandes famílias de proprietários ou corporações. Muitas dessas vastas plantações e fazendas foram formadas na época do colonialismo espanhol e português. Essa história é compartilhada entre as Filipinas e o Brasil. [...] Como a LCP no Brasil, os camponeses nas Filipinas estão engajados em ações coletivas para recuperar a terra e cultivá-la para seu próprio sustento.”

Um discurso proferido por um militante da MER denunciou o cerco, as expulsões ilegais e o terror realizado por parte do velho Estado brasileiro contra o Acampamento Tiago dos Santos desde o dia 03/10, afirmando ser uma retaliação criminosa em nome do latifúndio contra a luta legítima dos camponeses pela terra. Além disso, o discurso trouxe em questão a ligação intrínseca entre o latifúndio e o imperialismo, ao afirmar que “a ordem imperialista é construída sobre o sangue e exploração. Ele suga a terra de qualquer coisa valiosa, deixando para trás apenas a destruição. Para isso, é preciso expulsar da terra quem vive nela: os camponeses. Os camponeses estão na linha de frente da luta contra o capitalismo e imperialismo, porque suas próprias vidas dependem disso.”

Durante o discurso, prosseguindo sobre a relação do imperialismo e a existência do latifúndio no Brasil, o militante chamou atenção sobre a relação do imperialismo canadense e o semi-colonialismo do Brasil, explicando a relação do imperialismo assassino canadense e suas mineradoras no Brasil, conhecidas por explorarem e violarem os direitos mais sagrados do povo, além de poluir os biomas.

Além disso, o militante da MER destacou a importância da LCP para o mundo, ao afirmar que a “LCP tem mostrado ao mundo do que as massas são capazes! Eles acendem um farol para os oprimidos do mundo, e em seu tempo de necessidade, é nossa vez de dar-lhes a ajuda que pudermos.”

Assim, panfletos foram entregues aos transeuntes, falando sobre a luta dos camponeses pobres no Brasil, o trabalho da LCP, e sobre o movimento pela revolução de Nova Democracia no Brasil, com textos e links para do portal do jornal A Nova Democracia  e o jornal popular e democrático estadunidense Tribuna do Povo (Tribune of the People em Inglês). Além de encorajar o povo a contatar o MER para ajudar com ações de solidariedade ao Brasil no Canadá.

Por fim, o militante cravou que a principal forma de solidariedade ao Brasil é  fazer a revolução socialista no Canadá. O ato foi encerrado ecoando palavras de ordem da LCP e do movimento revolucionário do mundo.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin