Morre fundador e dirigente do Partido Comunista do Equador - Sol Vermelho

A- A A+

O Camarada Joselo, fundador e histórico quadro dirigente do Partido Comunista do Equador - Sol Vermelho (PCE-SV), faleceu subitamente vítima de uma grave doença. A informação foi veiculada em nota pelo próprio PCE-SV, na rede internet.

Joselo foi descrito na nota como um “guerrilheiro, lutador; organizador das massas”. Ele era “conhecido nos bairros pobres da capital como organizador de destacamentos do proletariado”. Joselo foi ainda “fundador dos Comitês dos Camponeses Pobres no Norte do país; membro do destacamento de operações militares mais avançado do Partido”. Joselo foi, por seu trabalho revolucionário, “amado e respeitado pelas massas nos sindicatos, comércios, vendedores informais, especialmente pelos camponeses pobres”, e, pelo mesmo motivo, era “odiado e perseguido por reacionários e outros parasitas do velho Estado”.

Segundo o PCE-SV, apesar de os reacionários o terem colocado como alvo estratégico a ser capturado ou executado “dada a sagacidade do camarada, ele nunca pôde ser identificado ou atingido pelo inimigo em mais de 30 anos de luta ininterrupta para organizar a revolução, seus instrumentos e outras tarefas a serem desenvolvidas com guerra popular”.

Joselo foi, segundo o PCE-SV, “um verdadeiro construtor dos instrumentos da revolução. Um pilar fundamental do Partido; incansável organizador e articulador de esforços e lutas na Frente; militante firme e corajoso do embrião do Exército Popular onde participou de ações que deixam a classe e o povo orgulhosos”.

O fundador do PCE-SV foi um íntegro e intransigente defensor do marxismo-leninismo-maoismo e dos aportes de validez universal do Presidente Gonzalo. A experiência da guerra popular no Peru trouxe, ao Equador e aos comunistas daquele país, as lições para avançar a revolução, encontrando-se com a determinação dos comunistas, dentre os quais se destacou Joselo.

Joselo era, ademais, um ferrenho internacionalista. Segundo o PCE-SV, “era firme combatente contra o revisionismo e o oportunismo. Irreverente, direto e com uma imensa capacidade e vontade de entrega às tarefas do partido. Uma grande perda para a revolução no Equador e para o proletariado internacional”.

Tratava-se de um “verdadeiro comandante da revolução proletária no mundo; um homem de pensamento e ação, convencido de seus princípios; em suma, um comunista cuja coragem será exposta em cada gota de sangue que derramamos; em cada batalha ganha, em cada linha de luta que inevitavelmente nos leva ao objetivo final de nossas lutas: o comunismo”, conclui o PCE-SV.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza