AP: Revoltados, moradores invadem e atacam base da PM em Macapá


Moradores montaram barricadas no bairro Buritizal. Foto: Reprodução G1

No dia 10 de novembro, moradores revoltados após nove dias de apagão, se reuniram e atacaram uma base da Polícia Militar (PM), no conjunto Macapaba, zona norte de Macapá. Eles reagiram à brutal repressão da PM, praticada durante os atos contra o descaso e abandono dos governos de turno na ocasião do apagão. No dia 6 de novembro, um exemplo da bestial repressão veio a tona com um adolescente sendo atingido no olho por um tiro de bala de borracha disparado por um policial.

Centenas de moradores bloquearam um trecho da BR-210 por cerca de oito horas e, depois, eles se reuniram em frente ao conjunto habitacional Macapaba, local que abriga 4 mil moradias populares, e que fica próximo da rodovia interditada.

Para chamar atenção para a situação caótica na qual estão submetidos, os trabalhadores queimaram pneus e pedaços de madeiras, e até crianças e idosos participaram do ato. No prédio do conjunto habitacional funcionava uma Unidade de Polícia Comunitária (UPC), que foi invadida pelo povo. As massas revoltadas quebraram vidros, levaram botijões, geladeira e extintores de incêndio.


Moradores fecharam BR-210 por cerca de oito horas. Foto: PM/Divulgação

Além da falta de energia, a população do conjunto habitacional cobra outros problemas no Macapaba, como a melhoria no fornecimento de água tratada e segurança. Segundo a própria PM, policiais tiveram dificuldades em conter os manifestantes, por cerca de 8 horas. Segundo balanço da Polícia Militar, entre o dia 6 e a madrugada do dia 10 de novembro foram mais de 50 protestos contra as falhas no fornecimento de energia.

Outros atos cobrando a normalização do serviço de energia aconteceram em outros pontos da cidade, como no bairro Buritizal, na zona sul, em cujo local os moradores também queimaram pedaços de madeira e outros itens para chamar atenção.

Por exemplo, no dia 9 de novembro, as massas bloquearam a rodovia Duca Serra, na zona oeste, que liga Macapá a Santana. Já no dia 10, uma viatura do Corpo de Bombeiros foi atacada com pedras e teve o vidro frontal quebrado na zona norte.


Base do órgão de repressão foi atacada pelos trabalhadores. Divulgação/Polícia Militar

AP: PM atira no olho de adolescente e nega socorro, denuncia família

O Amapá vive uma onda de protestos contra as irregularidades no fornecimento de energia elétrica, que funciona no sistema de rodizio com intervalos de 6 horas, porém moradores denunciam falhas no sistema e favorecimento na distribuição de energia para bairros ricos. Durante os nove dias de apagão, muitas pessoas perderam alimentos e eletrodomésticos, além de sofrerem com falta de serviços de saúde, estações de tratamento de água e comunicação. Durante o apagão, 15 novas mortes por Covid-19 foram registradas, chegando a um total de 766 mortes no estado.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza