AL: Moradores fecham via em protesto contra mineradora Braskem

A- A A+


Moradores protestam contra mineradora com fechamento de vias e barricadas. Foto: Renê Souza

No dia 12 de novembro, moradores do bairro de Bom Parto em Maceió, capital de Alagoas, realizaram um protesto contra mineradora Brasken, que é responsável pela extração de sal-gema, atividade apontada como a causadora de diversas rachaduras em casas de Maceió. Os moradores exigem indenizações pelos prejuízos causados a suas casas.

O protesto teve inicio por volta das 7h30 e moradores revoltados com descaso da mineradora fecharam uma rua e colocaram fogo em pedaços de madeira e pneus para fechar a via. Adultos e crianças participaram do ato segurando cartazes e entoando com palavras de ordem cobrando a realocação dos moradores que tiveram suas casas comprometidas pelas rachaduras e denunciando que estão abandonados e morando em área de risco de desabamento.

Renê Souza, morador de Bom Parto, contou ao site monopólio de imprensa G1 que vem sofrendo muito com as rachaduras. "Aqui tem mais de 28 rachaduras, não dá para viver nesse clima de insegurança, esperando o pior acontecer a qualquer momento. A Brasken não nos escuta, com eles não tem acordo", finalizou o homem revoltado com o descaso da empresa.

Outros protestos


Moradores protestam contra a mineradora Brasken, em Maceió. Foto: Cortesia

No dia 28 de agosto, moradores do bairro Bebedouro realizaram uma manifestação no portão principal da fábrica da Braskem, na avenida Assis Chateaubriand, no pontal da barra, em Maceió.

Os manifestantes cobravam rapidez nas indenizações e exigiram a avaliação e a definição da data de pagamento combinada no momento das desocupações dos imóveis atingidos pelo desastre geológico provocado pela mineradora que fez surgir rachaduras nas casas e no solo durante os anos de 2018 e 2019. Mesmo após dois anos do desastre, a mineradora ainda não pagou as indenizações.

O bairro de Pinheiro foi o primeiro a sofrer com os problemas em 2018. Em seguida, foi a vez dos bairros do Mutange e Bebedouro. Atualmente, o Bom Parto também  entrou na lista dos bairros que estão afundando. A região tem se tornado cada vez menos habitada por causa da petroquímica Braskem.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza