Índia: 5 mil trabalhadores rebelados destroem fábrica terceirizada da Apple

Milhares de trabalhadores rebelados contra condições de superexploração destroem fábrica na Índia. Foto: Reprodução.

A fábrica do iPhone na Índia, em Karnataka, administrada pelo monopólio de tecnologia de Taiwan, a Wistron Corporation, foi destruída no dia 12 de dezembro por 5 mil trabalhadores superexplorados, após a empresa não lhes pagar o salário e aumentar as horas de trabalho.

Foram publicados diversos vídeos na internet que capturaram a rebelião dos trabalhadores destruindo unidades de montagem, escritórios e carros estacionados no local, quebrando vidraças, incendiando placas, máquinas e gritando palavras de ordem contra a empresa. Os trabalhadores também confiscaram computadores e smartphones da Apple.

Os trabalhadores terceirizados, contratados por seis empresas diferentes, haviam recebido a promessa de um salário de 16 mil rúpias, porém recebiam apenas 12 mil (cerca de 825 reais), além de ficarem um mês com o pagamento dos salários atrasado. Os trabalhadores também foram obrigados a trabalhar horas extras sem receber pagamento extra.

Monopólio criminaliza os trabalhadores superexplorados

Em denúncia contra os trabalhadores, a Wistron acusou mais de 5 mil trabalhadores contratados e cerca de 2 mil "pessoas desconhecidas" de "destruição de propriedade". O custo para o monopólio foi de 4,38 bilhões de rúpias (60 milhões de dólares).

A polícia prendeu 149 trabalhadores, enquanto continuava a perseguição e investigação de outros.

A Wistron, cujos trabalhador não são sindicalizados, disse em uma declaração que estava "profundamente chocada pela violência" e que culpava "pessoas desconhecidas ... com intenções pouco claras".

Veja aqui os vídeos da tomada da fábrica: 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin