Iraquianos rechaçam o imperialismo ianque em protesto um ano após morte de general iraniano

Manifestantes iraquianos erguem bandeiras e cartazes escritos "Abaixo o USA!" em Bagdá, 3/01/2021, um ano depois que um ataque do USA matou um general iraniano. Foto: Ahmad al-Rubaye / AFP

No dia 3 de janeiro, milhares de iraquianos se reuniram no aeroporto de Bagdá, Iraque, para condenar e vaiar o Estados Unidos (USA) e sua presença indesejada no país, chamando-os de "ocupantes americanos". O protesto ocorreu no mesmo lugar onde, um ano antes, um ataque de drones orquestrado pelo imperialismo ianque matou o general iraniano Qassem Soleimani e o comandante da coalizão iraquiana de milícias xiitas Hashd al-Shabi, Abu Mahdi al-Muhandis. 

Segundo diversas fontes do monopólio de imprensa, as massas exigiam a rápida e imediata saída de todas as tropas ianques do país. Palavras de ordem como Não à América! e Abaixo o USA!, além de pedidos de vingança às mortes dos dois comandantes foram entoados. 

Além do imperialismo ianque, outro alvo rechaçado pelo protesto foi o atual governo fantoche do Iraque, submisso aos interesses do USA, atualmente encabeçado pelo primeiro-ministro Mustafa al-Kazimi. 

Os manifestantes, em tom de luto, levaram cartazes de outros paramilitares que morreram e acenderam velas no local, cujas paredes próximas ainda estão marcadas por estilhaços da explosão. Alguns conseguiram, ainda, invadir o aeroporto no qual ocorreu o ataque flagrante à soberania nacional iraquiana, no início de 2020. 

Em seguida, os apoiadores das Hashd al-Shabi ("Forças de Mobilização Popular") se encaminharam à praça Tahrir, também em Bagdá, onde continuaram com o comício.

O movimento contrário à intervenção ianque no país ocorre em um momento de intensas ameaças lançadas pelo presidente do USA, Donald Trump, em seus últimos dias na administração. Bombardeiros B-52 foram enviados pelo USA para o Golfo Pérsico, fortalecendo sua presença militar na região, e também foi ordenado que o porta-aviões USS Nimitz permanecesse no Oriente Médio, no dia 3/01. 

As Hashd al-Shabi, apoiadas pelo Irã, são identificadas como as responsáveis pelos diversos ataques lançados contra bases ianques no Iraque e seus comboios militares e logísticos no decorrer do último ano. Essas ações foram intensificadas em retaliação à morte de Soleimani. 

Recentemente, após um cessar-fogo, o grupo havia retornado a realizar os lançamentos de foguetes e mísseis, principalmente contra seu principal foco: a Zona Verde, complexo militar em Bagdá onde está localizada a embaixada do USA.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza