Espanha: Em revolta, trabalhador destrói veículos da Mercedes após demissões em massa da multinacional

Operário causou prejuízo de 6 milhões de euros para multinacional alemã. Foto: Araba/El Correo.


Na véspera de ano novo, 31 de dezembro, em Vitória, na Espanha, um trabalhador demitido de uma fábrica da gigante imperialista alemã de veículos Daimler, dona da Mercedes-Benz, usou uma retroescavadeira para protestar sua demissão e a de outros operários. Em sua ação individual, ele terminou por destruir diversas vans. O prejuízo estimado à multinacional alemã é de cerca de 6 milhões de euros.

O homem, de 38 anos, pegou uma retroescavadeira de uma firma de construção, dirigindo cerca de 30 quilômetros até seu antigo local de trabalho. Destruindo o portão da fábrica, o operário rebelado destruiu cerca de 70 vans da Mercedes-Benz. O ataque foi movido com tamanha fúria que o segurança do local atirou ao ar, levando o trabalhador em custódia para a polícia local. 

O operário, que foi demitido em 2017 após protestar contra as políticas de demissões em massa da multinacional alemã, perpetrou o ataque contra a marca logo após a Mercedes-Benz realizar outra série de demissões em massa. Desta vez foram demitidos cerca de 12% dos operários das fábricas.

A empresa vem realizando tal política de demissão em massa sob a alcunha de querer se tornar uma “empresa menor”, querendo “maximizar os lucros", como afirma o CEO da multinacional, além de utilizar o desenvolvimento de novas tecnologias como desculpa para jogar trabalhadores na rua, em busca de mais lucro.

À este caso de revolta individual somam-se outros, que indicam que os trabalhadores não aceitam a política antipovo de cabeça baixa. Em setembro, operários da mesma fábrica de Vitória organizaram um protesto contra a demissão de 87 operários, com uma greve planejada para o dia 5 de janeiro contra a nova onda de demissão em massa agora em curso, após a demissão de mais 22 operários da fábrica, que conta com 250 operários permanentes.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza