SC: Indígenas Kaingang e Guaranis ocupam terminal exigindo a construção de Casa de Passagem

No dia 07 de janeiro, cerca de 25 indígenas, em sua maioria Kaingang e Guarani, realizaram um protesto ocupando o Terminal de Integração do Saco dos Limões (Tisac), em Florianópolis, estado de Santa Catarina, para exigir a construção da Casa de Passagem para indígenas, local onde estes vendem artesanato e que também serve de estadia.

Indígenas Kaingang e Guaranis ocupam terminal exigindo o direito conquistado sobre a construção de casa de custódia. Foto: Bárbara Vieira

Faixas foram erguidas na entrada do terminal atualmente desativado, onde deveria ser construída uma estrutura anexa onde comportaria a Casa. Outras ocupações já foram feitas no local em 2018. A venda de artesanato é um meio de sustento de diversas famílias indígenas da região que precisam permanecer na cidade durante períodos do ano. 

No ano de 2018, após um acordo definiu-se a construção Casa de Passagem, na ocasião foi anunciado pelo então prefeito Gean Loureiro (DEM) que havia R$ 1,5 milhão para a construção de uma estrutura. A previsão é que ficasse pronta em 2019, porém isso não aconteceu.

Em decorrência da pandemia, um protocolo de saúde e segurança para o deslocamento e a permanência de artesãos indígenas nas cidades turísticas de Santa Catarina durante a alta temporada. Nele, constam-se medidas de controle preventivo para evitar aglomeração e não a proibição das atividades.

Entretanto, a decisão judicial emitida pelo Tribunal Superior da 4º Região em dezembro de 2020, citava a vulnerabilidade da população indígena com relação ao vírus e manteve suspensa a construção da Casa de Passagem e permanência dos indígenas no local. A decisão anteriormente havia sido definida após pedido do MPF para que houvesse adequações  a fim de viabilizar o uso do espaço.

Em entrevista ao Jornal Garopaba, a antropóloga Jozileia Daniza Kaingang afirmou que o grupo tem a venda de artesanato como sustento para sobrevivência. Ela constatou:“Eles querem trabalhar e precisam trabalhar para garantir que durante 2021 eles possam ter recursos financeiros para garantir a comida na mesa das suas famílias”.

Em Balneário Camboriú, no Litoral Norte do estado, outras famílias indígenas foram abrigadas em um salão paroquial. Porém, a medida preparada pelo Ministério Público Federal (MPF) foi insuficiente, e cerca de 200 indígenas, entre adultos, crianças e idosos, chegaram à cidade desde o fim do ano passado e ocuparam com lonas improvisadas local próximo a BR-101.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro