Alemanha: Duas mil pessoas realizam ato combativo na celebração anual ‘Lênin-Luxemburgo-Liebknecht’

 

Milhares marcham no ato anual 'Lênin-Luxemburgo-Liebknecht', conhecido como LLL. Na faixa, "Pela Nova Organização Internacional do Proletariado". Foto: Dem Volke Dienen.

No dia 10 de janeiro, em Berlim, na Alemanha, as massas realizaram a celebração anual LLL (Lênin-Luxemburgo-Liebknecht), promovendo um ato combativo com cerca de 2 mil pessoas. Os manifestantes responderam às agressões da polícia com fogos de artifício e garrafas, além de usarem suas bandeiras para revidarem as agressões dos policiais, em meio a palavras de ordem internacionalistas como Pela a solidariedade internacional!. Ao final da manifestação, cerca de 17 policiais ficaram feridos, com um desses sendo hospitalizado. Cerca de 10 manifestantes ficaram feridos e outros 35 foram presos.

A marcha ocorreu apesar das ameaças e imposições de lockdown (fechamento de estabelecimentos comerciais e restrição de circulação de pessoal) feitas pelo Estado imperialista alemão, que usa de pretexto o combate ao coronavírus para impedir o povo alemão de lutar.

Embora a repressão policial no evento anual fosse esperada, este ano ela foi ainda maior. Os policiais agrediram cerca de 30 manifestantes antes mesmo do evento começar. Este fato ocorreu enquanto os manifestantes se concentravam na estação de trem Frankfurter Tor. Vídeos da rede social Twitter mostram a cena em que um policial dá um pontapé na cabeça de um manifestante. Também, em filmagem do monopólio de mídia Russia Today Deutsch, é possível ver os policiais agarrando manifestantes pela garganta.

Prosseguindo com o ato mesmo após a covarde repressão, os manifestantes carregavam diversas bandeiras vermelhas com o símbolo do proletariado internacional, a foice e o martelo, assim como bandeiras da organização democrática Partizan. Além disso, havia também uma grande faixa com os dizeres Pela Nova Organização Internacional do Proletariado!, a qual deve ser constituída na Conferência Internacional Maoista Unificada (CIMU) a ser realizada, conforme informa a revista Internacional Comunista.

Após o confronto, a marcha prosseguiu em direção ao Memorial dos Socialistas, no Cemitério Central Friedrichsfelde, onde estão enterrados Rosa Luxemburgo e Karl Liebknecht. Ali se deu por encerrado a manifestação internacionalista do ano de 2021.

A marcha Lênin-Luxemburgo-Liebknecht, conhecida como LLL, é o maior ato anual socialista em toda a Europa, com a participação de milhares de pessoas todo o ano. A marcha anual se propõem a realizar a homenagem à memória de Rosa Luxemburgo e Karl Liebknecht, fundadores do Partido Comunista da Alemanha e grandes dirigentes do proletariado alemão, assim como ao chefe revolucionário Vladimir Lênin. O ato é também usado para propagandear a necessidade de reconstituir o Partido Comunista da Alemanha, ocorrendo desde 1996.

Luxemburgo e Liebknecht foram assassinados pela Freikorps (Brigadas Livres, do alemão), tropas paramilitares de extrema-direita chauvinista, sob ordens do chanceler social-democrata Friedrich Ebert, em 1919.

Revolucionários marcham com cartaz em defesa do Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista (TKP/ML) e do Maoismo. Foto: Dem Volke Dienen.

Revolucionários marcham com bandeiras vermelhas com o símbolo do proletariado internacional, a foice e o martelo, e com bandeiras da organização democrática Partizan. Foto: Dem Volke Dienen.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin