Peru: Médicos entram em greve de fome exigindo investimentos básicos na saúde

Cerca de uma dúzia de médicos que protestavam em frente ao Ministério do Trabalho do Peru iniciaram uma greve de fome no dia 19 de janeiro exigindo mais investimentos no setor da saúde e em rechaço a forma com que foi gerenciada a pandemia da Covid-19 no país. A greve de fome ocorre em meio à segunda onda de infecções do vírus, de acordo com uma declaração do Sindicato Nacional Médico da Previdência Social do Peru (Sinammsop) divulgada no dia 20/01.

A greve de fome se soma a inúmeros protestos em diferentes partes do país desde a semana anterior ao fato, onde médicos e outros trabalhadores da saúde exigiam mais equipamentos médicos, ajuste salarial e um aumento no orçamento para o setor da saúde, segundo a Federação Médica Peruana.

"Nossas UTIs estão desmoronando e não estamos recebendo nenhuma resposta e estamos vendo a indiferença de um governo que nos aloca o orçamento. Precisamos urgentemente adquirir este equipamento para evitar que mais peruanos morram. O Estado peruano tem a obrigação constitucional de garantir a acessibilidade dos serviços de saúde e neste momento eles estão negando o acesso aos hospitais porque não temos mais a capacidade de fornecer aos pacientes o que eles tanto precisam", disse a enfermeira peruana Ketty Solier ao monopólio de mídia Reuters no dia 19/01.

O Peru enfrenta agora uma segunda onda de casos de Covid-19, e, de acordo com a ministra da Saúde, que afirma que o país se encontra onde estava em meados de abril, mas que os números de infecções continuam subindo. O Peru registrou até então pelo menos 1.073.214 casos da Covid-19, incluindo 39.044 mortes, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

Médicos peruanos protestam contra más condições de trabalho durante a pandemia da Covid19 em 2020. Foto: AFP.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin