RR: Yanomamis perdem 10 crianças com sintomas da Covid-19

Yanomamis lutam pela sobrevivência em meio a pandemia. Foto: Instituto Socioambiental 

Em 26 de janeiro, o Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kuanna (Condisi-YY) enviou um ofício à Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e ao Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) denunciando a morte de nove crianças com suspeita de Covid-19 em duas comunidades Yanomami: Waputha e Kataroa, localizadas na região do Surucucu, em Alto Alegre, Norte do estado de Roraima. As crianças apresentavam sintomas como febre, tosse e falta de ar.

Segundo o presidente do Condisi-YY, Júnior Hekurari Yanomami, cinco dias após o encaminhamento do ofício, sem obter nenhum plano de ação ou resposta por parte da Sesai e do Dsei, a 10ª criança - um bebê de 1 ano, da comunidade Taremou, também em Alto Alegre - morreu após apresentar os mesmos sintomas. Hekurari afirmou que todas as vítimas tinham entre 1 a 5 anos e vieram a óbito em janeiro.

A resposta do Ministério da Saúde só veio depois da perda de mais uma criança, vítima da demora e da burocracia, conforme denunciou Hekurari ao monopólio de imprensa, o Globo: “Demorou bastante. Desde o dia 26, uma semana. Essa demora levou mais uma vida, uma criança que morreu dois dias atrás [31/01] no Taremou. Muitas crianças estão internadas e as comunidades que a gente não consegue chegar, eu não sei como estão. A demora e a burocracia estão matando o povo Yanomami”.

No ofício do Condisi-YY também é mencionado que há aproximadamente 25 crianças com os mesmos sintomas e em estado grave, e que os postos de saúde da região estão fechados há dois meses por falta de helicópteros para transportar profissionais de saúde aos locais.

Em apenas 3 meses, Covid-19 avançou 250% nas comunidades Yanomami

A Terra Indígena Yanomami (TIY) é a maior do país e também a mais vulnerável ao vírus na Amazônia, principalmente, devido ao garimpo ilegal promovido pelo latifúndio. Segundo relatório realizado por uma rede de pesquisadores e lideranças Yanomami e Ye’kwana, em um período de três meses, o vírus avançou 250% nas comunidades.

Mapa apresenta o número de óbitos por Covid-19 em território Yanomami. Foto: Rede Pró-Yanomami e Ye'kwana

Diante de tal avanço, cabe relembrar o episódio protagonizado pelo Exército, que em uma “ação contra a Covid-19” distribuiu para as comunidades Yanomami, em 30 de junho de 2020, 13,5 mil comprimidos de cloroquina, medicamento que não possui eficácia comprovada contra o coronavírus. A ação contou ainda com o apoio e presença do Ministério da Saúde por meio da Sesai, do Ministério da Defesa e da Fundação Nacional do Índio (Funai).

De acordo com boletim epidemiológico da Sesai, que contabiliza somente os casos de Covid-19 verificados em indígenas assistidos pelo Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (Sasi), o número de Yanomamis infectados  pelo vírus chegou a 1.276, em 02/02, e 10 mortes foram registradas.  

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro