Espanha: Pablo Hasél faz chamado da prisão para 'intensificar a luta nas ruas'

Pablo Hasél é detido na universidade de Lleida enquanto grita Morte ao Estado fascista!. Imagem: EFE.

No dia 23 de fevereiro o rapper revolucionário Pablo Hasél, encarcerado no dia 17/02, enviou uma declaração clamando o povo a “intensificar a luta das ruas”. A carta foi entregue à plataforma que divulga ações da massa, de democratas e do próprio Pablo e sua advogada, todos em luta pela sua liberdade e de outros presos políticos do povo. Nos dias 25 e 19/02, artigos do rapper desde a prisão de Ponent também foram publicados.

Ele ainda enviou uma mensagem de apoio às seis pessoas presas durante as manifestações.

Além disso, em clara perseguição à sua advogada e ataque contra a luta jurídica pela sua liberdade, o Sindicato Unificado da Polícia ajuizou no dia 22/02 uma ação por “calúnia e difamação” contra Alejandra Matamoros, advogada do rapper Pablo Hasél.

Em uma declaração, o SUP explicou que a queixa se deve a declarações em uma mídia do advogado da Hasél em que ele imputava "tortura dia após dia" às Forças de Segurança do Estado e ao Corpo.

No dia 19/02, o rapper também publicou dois artigos. Em um dos artigos se explica o porquê de sua pena ter sido aumentada de nove meses para dois anos e nove meses de cárcere: uma suposta agressão a um Guarda Urbano de Lleida, após esse ter ido até a sua casa o agredir e insultar diante de um vídeo gravado por Pablo e seus companheiros que mostrava o guarda espancando brutalmente um menor de idade durante uma manifestação. Mais tarde, o guarda voltaria à casa de Hasél para o ameaçar de morte

O segundo artigo chama-se A Guerra Suja Desinformativa. Disponibilizamos alguns trechos traduzido não-oficialmente, aqui:

"Desde os tempos antigos, os grandes meios de manipulação mercenária da ditadura do capital se dedicaram a intoxicar, para, entre outras coisas, diminuir o apoio popular aos revolucionários ou impedi-los de que se somem mais e assim perpetuar o poder da minoria capitalista incompatível com a democracia para a maioria.  Despojados de argumentos (não precisamos recorrer a mentiras porque temos o suficiente) eles lançam constantes campanhas de criminalização para deixar todos nós que lutamos como monstros, colocando em perigo seus senhores que são as verdadeiras feras que eles encobrem, escondendo suas políticas criminosas.  

Eles não economizam recursos nesta guerra suja de desinformação, investindo milhões de dólares como em poucas coisas, [...] suas mentiras contra os movimentos revolucionários chegaram ao ponto de acusar os antifascistas mais consistentes de serem fascistas [...].  Poderíamos colocar inúmeros exemplos como este, ridículos para qualquer coisa que tenha uma consciência mínima, mas é claro que com milhões de pessoas acreditando nesses meios, a consciência fica mais lenta.  Portanto, é urgente desmontar suas falácias e denunciar seu papel em todos os lugares possíveis.  

Cada vez que a situação sai do controle nas ruas, eles intensificam o bombardeio de insultos (os deles) para tentar desacreditar ou acalmar a luta.  Para isso contam com a ajuda da "esquerda" domesticada que condena tudo o que vai além da legalidade ilegítima que visa impedir mudanças profundas e nos esmagar.  Na hora da verdade, dos mais abertamente fascistas aos reformistas que não reformam, eles criminalizam os revolucionários ou qualquer ação que prejudique os opressores.  Em vez de condenar a violência sistemática que é a causa dos protestos, eles perpetuam a primeira e condenam a reação [das massas quanto à opressão, comentário nosso].

Você não pode estar com os opressores e os oprimidos ao mesmo tempo, ou com um ou outro.  É por isso que antes da minha prisão e dos protestos que ela tem gerado pela liberdade de expressão, além de agregar mais descontentamento e as demandas de outros direitos e liberdades que negam [os reacionários], não se pode colocar no mesmo nível a repressão violenta do Estado com a brutalidade policial incluída e a luta dos manifestantes contra isso e muito mais.  Pintar que todo aquele que responde a isso é um vândalo violento faz parte da guerra suja desinformativa para não analisar as causas e acabar com elas.  

Eles tentam nos desumanizar enquanto humanizam aqueles que bombardearam países ou impõem vidas de miséria para viver no luxo.  Por acaso contam quanto nos custa a sua defendida família real em um ano, enquanto repetem quanto custam os contêineres queimados?  Eles explicam a exploração brutal das multinacionais com as vitrines quebradas?  Eles mencionam as famílias deixadas na rua ou enganadas pelos bancos que têm os caixas eletrônicos queimados?  Eles servem aos culpados de tantas tragédias evitáveis ​​e depois lincham aqueles de nós que lutamos que que isso se termine.  

Nesse sentido, eles mentem descaradamente, dizendo que me aprisionaram por adicionar outras sentenças além da música e tweets, quando a verdade é que minhas únicas sentenças firmes que me levaram para a prisão são essas.  Então, eles querem vender que ninguém vai para a cadeia por fazer músicas.  Mas, como acontece com a repressão, cabe a nós que toda a sua manipulação se volte contra eles e os deixe bem retratados para que menos pessoas criem sua guerra suja de desinformação.  

Centro Penitenciário Ponent, 19/02/21."

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro