África do Sul: Homem é morto pela polícia em protesto contra taxas abusivas na universidade

Manifestantes seguram faixa escrita Educaçao gratuita agora!. Foto: Michele Spatari.

Protestos estudantis continuam em Joanesburgo (capital) depois que um transeunte foi morto pela polícia quando essa disparou balas de borracha para dispersar os manifestantes no início do dia 10 de março. As manifestações aconteciam desde janeiro, devido à exclusão de 8 mil alunos de um programa de auxílio do governo para pagar as taxas da universidade. As medidas reacionárias causaram endividamento dos estudantes.

Naquele dia, os alunos foram novamente dispersos pela polícia enquanto tentavam bloquear um cruzamento perto da Universidade de Witwatersrand. Além do homem de 35 anos assassinado, vários manifestantes também foram presos.

Os estudantes exigiam que a universidade permitisse que aqueles que estivessem com suas mensalidades atrasadas - alguns registravam pendências de até 9,8 mil dólares - se registrassem para o ano acadêmico de 2021 e tivessem direito a concluir seus estudos.

Muitos estudantes sofreram intensamente os efeitos econômicos da crise geral do imperialismo, agudizada pela crise sanitária da Covid-19.

O programa de ajuda financeira financiado pelo velho Estado para estudantes, nos últimos anos tem enfrentado déficits de financiamento devido a crise do capitalismo burocrático. O governo confirmou na semana dos protestos que não poderia garantir o pagamento de estudantes que ingressassem no programa.

As aulas foram retomadas no mês passado na Wits, uma universidade de prestígio que foi o epicentro dos protestos #TheFeesMustFall (ou "As taxas devem cair", em português) que abalaram o país há cerca de cinco anos.

‘Ele levou um tiro, sem mais nem menos’

Testemunhas relataram ter visto estudantes sendo perseguidos pela polícia pouco antes do homem cair e morrer.

"A polícia começou a atirar. Aquele homem estava saindo do prédio ao lado, é uma clínica, ele levou um tiro, sem mais nem menos", disse uma mulher que trabalha em uma lanchonete próxima e não quis dar seu nome.

"A polícia atirou e foram embora", disse o estudante de engenharia Thabang ao monopólio de mídia AFP no local, acrescentando que foi "baleado no corpo e na cabeça".

"Ele nem mesmo fez parte do protesto, ele estava saindo da clínica", disse Thabang.

Estudantes enfurecidos se reuniram perto do corpo, cantando canções de luta contra o apartheid e gritando para os policiais deixarem a área.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro