SP: Incêndio criminoso destrói casas de reza em Aldeia Filhos Desta Terra

Um incêndio criminoso destruiu três casas de reza na Aldeia Multiétnica Filhos Desta Terra, localizada na Serra da Cantareira, cidade de Guarulhos, estado de São Paulo, no dia 4 de março. 

Foram dois ataques seguidos, o primeiro ocorrido às nove da manhã e o outro às 14 horas da tarde. Durante o ataque, os indígenas trabalhavam na construção de uma outra casa que abrigará um centro cultural e por isso demoraram a perceber a ação.

“A pessoa sabia onde estavam localizadas. É um ataque criminoso, não foi acidente. Não foi um ato religioso”, afirmou Awa-Kuaray-Wera, 49, uma das lideranças da aldeia, em entrevista à agência de jornalismo Ponte.

A aldeia que abriga 25 famílias das etnias Tupi, Pankararé, Pankararú, Xucuru de Urorubá, Kaimbé, Wassu Cocal, Guajajara e Kariri Xocóa, ocupa uma área de 276 mil metros quadrados e é fruto de uma retomada realizada há três anos. O local que carece de saneamento básico e infraestrutura, apesar das promessas do velho Estado, até hoje a área não é reconhecida como território indígena, situação que aumenta a vulnerabilidade dos povos que ali ocupam. 

A retomada se deu em meio a luta de indígenas em diversos contextos urbanos, que buscavam uma vida digna e em meio às reivindicações se depararam com a promessa de que se apresentassem o  projeto da Aldeia multiétnica, a prefeitura cederia as terras. Em outubro de 2017, diante da inércia dos politiqueiros, ocuparam a terra e alguns meses depois as dividiram.

“A gente tem que se unir para ganhar a terra. Se não houver união, a gente não vai em lugar nenhum. Quem decide aqui é a maioria”. Afirmou Awa em entrevista ao portal Click Guarulhos.

Casa de reza é alvo de incêndio criminoso em Aldeia Multiétnica Filhos Desta Terra, São Paulo. Foto: Reprodução.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin