SC: Dnit destrói casas, plantações e expulsa camponeses da terra para duplicar rodovia

Trator da Dnit invade propriedades de pequenos camponeses para duplicar rodovia que beneficia latifúndio. Foto: Reprodução

Em 13 de abril, um maquinário do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), coordenado pelo Ministério da Agricultura, invadiu e destruiu casas e plantações camponesas na cidade de São José do Cedro, na região oeste de Santa Catarina (SC).

A justificativa para a arbitrariedade é a duplicação da BR-163, em obra há quase uma década. Porém, este não foi o primeiro ataque ocorrido contra as famílias que vivem nesta região, há cerca de oito anos, o governo enviou maquinários como tratores que destruíram casas e plantações. Na época uma das famílias moradoras era composta por um idoso com deficiência física e uma senhora com idade avançada, eles tiveram sérios danos a casa e plantações e assim como as demais famílias buscaram por saídas em meio ao despejo arbitrário. 

Moradores relatam que promessas de indenização nunca se concretizaram e por oito anos seguem as disputas judiciais que nunca beneficiaram os trabalhadores. Uma moradora que não quis ser identificada por medo de represálias, afirma que as famílias, sobretudo os mais idosos, já sofreram diversas ameaças e perseguições devido à luta pela terra no local.

“Imagina uma coisa que você batalha, que você cultiva e sofreu tanto para ter, e não falo da posse da terra, falo em você plantar [...] E [o velho Estado] tratar quem vive dela assim. É uma fonte de sustento e de onde tiramos o dinheiro e a alimentação”, afirma.

O governo do estado revelou que um valor de R$ 250 milhões seria destinado para a obra das BRs no estado, porém os parlamentares aumentaram o pedido para R$ 350 milhões, o valor absurdo do montante tornou o projeto ilegal e as obras devem para novamente. O governador de SC, Carlos Moisés, declarou a suposta importância da obra porque na região é “pujante” o agronegócio, evidenciando a quem serve as políticas do velho Estado. 

Dnit destri casas e plantações para duplicar rodovia que beneficiará latifúndio. Foto: Reprodução

Assista o vídeo:

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin