PR: Resistência Atleticana Antifascista manifesta apoio à LCP

Logo da Resistência Atleticana Antifascista e da Liga dos Camponeses Pobres compõem imagem sobre manifestação camponesa. Foto: Reprodução

No dia 13 de maio, a organização popular Resistência Atleticana Antifascista diante das recentes declarações de Bolsonaro criminalizando os camponeses organizados, dessa vez no estado de Rondônia, publicou em seus portais uma nota de solidariedade à Liga dos Camponeses Pobres (LCP).

A nota inicia-se denunciando a chacina anunciada e a taxação de terroristas que faz o governo militar genocida contra as famílias camponesas em luta pela terra. O grupo afirma que as declarações são feitas para que criminalizando, possam legitimar e promover um massacre contra as famílias.

Fazem paralelos sobre os últimos acontecimentos promovidos pelo velho Estado contra o povo pobre das favelas do Rio de Janeiro, se referindo à chacina do Jacarezinho e ressaltando como esta não é vista como terrorismo, que inclusive foi parabenizada por Bolsonaro. Porém, pelos reacionários como terrorismo é vista a luta pela terra.

“Chamar camponês organizado de ‘terrorista’ é a mesma lógica daqueles que chamam de ‘traficante’ o povo periférico das grandes cidades para assim terem o aval para matar trabalhadores à vontade”, afirmam.

O grupo segue dizendo que se o Estado Brasileiro fosse democrático, a terra seria de quem nela trabalha e os crimes do latifúndio seriam condenados por atuarem contra os direitos mais básicos do povo.

Denunciam ainda em nota que o velho Estado está à serviço de latifundiários e de grandes empresários e declara que os falsos patriotas que puxam o gatilho contra trabalhadores no campo e na cidade. Trazem a memória a história da Força Expedicionária Brasileira (FEB) como verdadeiros patriotas. Denunciam ainda o entreguismo com o qual as forças armadas reacionárias colaboram.

Concluem afirmando: “Não podemos deixar que a justa luta pela terra, que nos aponta um futuro de paz e dignidade para o povo do campo, seja atacada por gente tão baixa quanto esses fascistas e entreguistas que hoje têm o monopólio da força!”

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin