Mais de 250 entidades e personalidades democráticas manifestam apoio à LCP

O apoio à LCP cresce por todo o país e também no exterior. Foto: Reprodução

As mais diversas expressões de solidariedade à Liga dos Camponeses Pobres (LCP) e repúdio aos ataques de Bolsonaro e generais contra o movimento camponês crescem exponencialmente. Mais de 250 entidades e personalidades progressistas e democráticas, entre artistas e intelectuais renomados, se posicionaram ao lado da justa luta pela terra. 

Tal contundente manifestação de apoio ocorre em um momento em que é gritante as ações antipovo e de guerra promovida pelo governo genocida, e que em sua forma mais atroz ocorre contra a LCP e o Acampamento Manoel Ribeiro.

Este número de assinaturas, que a cada dia aumenta, subscreve o manifesto Basta de massacres contra o movimento camponês! Em defesa da vida dos camponeses do Acampamento Manoel Ribeiro e da liga dos camponeses pobres em Rondônia!, proposto pelo Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo) e pela Associação Brasileira dos Advogados do Povo (Abrapo).

Entre os signatários estão a Associação de Juízes para a Democracia, a Associação Brasileira de Reforma Agrária, diversas associações de docentes, sindicatos, professores e artistas democráticos como Vladimir Safatle, Luiz Eduardo Soares, Virgínia Fontes, Eduardo Viveiros de Castro, Dermeval Saviani, Peter Pál Pelbart, Carlos Latuff, Armando Babaioff, Soraya Ravenle, o renomado professor e democrata indiano Amit Bhattacharyya, e diversos intelectuais honestos de todo o país.

“Nós, movimentos sociais, homens e mulheres cidadãos brasileiros e de outros países, viemos nos posicionar contundentemente contra as ameaças do governo Bolsonaro e generais de promover mais um massacre no campo”, declaram os democratas. O manifesto se estende também à defesa da liberdade dos quatro camponeses que foram presos no acampamento, onde sob as palavras de ordem Lutar não é crime!, Terra para quem nela vive e trabalha! e Abaixo a perseguição ao movimento camponês!, evidencia que aqueles que o assinam estão ao lado da justa luta popular.

O posicionamento emitido e reafirmado pelos democratas através do manifesto delimitam claramente a linha que separa estes, dos algozes que procuram uma maneira de massacrar os camponeses para dar o suporte necessário ao latifúndio e buscam criminalizar os movimentos populares.

Do outro lado da contenda estão as palavras e ações de Bolsonaro que através de recorrentes discursos atacou a LCP, como o ocorrido em 7 de maio, na inauguração de ponte sobre o Rio Madeira, quando disse: “LCP, se prepare, não vai ficar de graça, no barato, o que vocês tão fazendo. Não tem espaço aqui pra grupo terroristas. Nós temos meios de fazê-los entrar no eixo e respeitar a lei”. (sic)

Bolsonaro não foi o único do governo genocida a se manifestar. Entre o Alto Comando das Forças Armadas (ACFA), o porta-voz da ameaça aos camponeses foi o general da reserva e ministro da Defesa, Braga Netto,  que em 15 de maio, durante um ato pró-Bolsonaro organizado por latifundiários em Brasília, afirmou: “O agro é a força desse país. As Forças Armadas estão para proteger os senhores”.


Na primeira coluna, da esquerda para direita: Amit Bhattacharyya, Retired Faculty, Jadavpur University - Kolkata, India; Emilson Frota de Lima, professor indígena do Povo Munduruku; Virgínia Fontes, historiadora da Pós-Graduação em História da UFF e Vladimir Safatle, professor titular da cadeira de Teoria das Ciências Humanos da FFLCH-USP. Na segunda coluna, da esquerda para direita: Dermeval Saviani, Professor Emérito da UNICAMP, Pesquisador Emérito do CNPq e Professor Titular Colaborador Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNICAMP; Soraya Ravenle, atriz e cantora; Armando Babaioff, ator e produtor e Carlos Latuff, Cartunista.

Na primeira coluna, da esquerda para direita: Marcelo Chalréo, advogado e Conselheiro da OAB/RJ; Isaac Bernat, ator e diretor; Luiz Eduardo Soares, antropólogo e escritor e Igor Mendes, escritor. Na segunda coluna, da esquerda para direita: Isabel Teixeira, atriz e diretora; José Guajajara, indígena e professor universitário da Universidade Indígena Aldeia Maracanã; Peter Pál Pelbart, filósofo, ensaísta e editor e Arão da Providência Guajajara, indígena e advogado da Aldeia Maracanã.

Na primeira coluna, da esquerda para direita: Dr. Siro Darlan, desembargador do Tribunal de Justiça do estado do Rio de Janeiro; Eduardo Viveiros de Castro, professor de Pós-Graduação em Antropologia Social no Museu Nacional/UFRJ; Gláucia Marinho, Justiça Global e Stella Rabello, atriz. Na segunda coluna, da esquerda para direita: Maria de Fátima Siliansky, professora associada do Instituto de Estudos Saúde Coletiva da UFRJ; Letícia Isnard, atriz; Dr. João Tancredo, advogado e fundador do Instituto de Defesa dos Direitos Humanos e Raquel Braga, juíza aposentada do TRT/RJ, membra da AJD e da ABJD.

Leia a nota na íntegra:

BASTA DE MASSACRES CONTRA O MOVIMENTO CAMPONÊS!

EM DEFESA DA VIDA DOS CAMPONESES DO ACAMPAMENTO MANOEL RIBEIRO E DA LIGA DOS CAMPONESES POBRES EM RONDÔNIA!

Nós, movimentos populares, homens e mulheres cidadãos brasileiros e de outros países, vimos nos posicionar contundentemente contra as ameaças do governo Bolsonaro e generais de promover mais um massacre no campo. A recente chacina ocorrida na favela do Jacarezinho na cidade do Rio de Janeiro, onde 27 pessoas foram executadas sem que seus crimes fossem caracterizados, seus possíveis processos julgados e condenados, num país onde não há pena de morte, mostra que eles avançam a agir em desrespeito às leis e aos tratados internacionais de defesa dos direitos humanos. A senha já foi dada: Bolsonaro chama frequentemente todos os movimentos populares em luta pelos direitos do povo – entre eles o sagrado direito à terra - de “terroristas”. E não somente, celebra o avanço do latifúndio de velho e novo tipo (o agronegócio) sobre florestas protegidas, reservas indígenas e terras públicas, ao arrepio da legislação e perseguindo quem a quer fiscalizar.

O acampamento Manoel Ribeiro da Liga dos Camponeses Pobres no município de Chupinguaia em Rondônia está sendo, neste momento, criminalizado diretamente por Bolsonaro, que montou um aparato de guerra por meio da Força Nacional de Segurança, ao lado da PM de Rondônia, ameaçando os camponeses com armas de grosso calibre. Atualmente mais de 200 famílias estão acampadas na área e foi montada uma operação de guerra ilegal contra os camponeses, perseguições diárias e sistemáticas com uso excessivo de bombas de gás lacrimogêneo, tiros de bala de borracha e spray de pimenta, tentativas de invasão, uso de helicópteros sobrevoando o acampamento e ainda cerco e isolamento da área, impedindo que as famílias possam se locomover para comprar produtos de subsistência básica, uma clara tentativa de causar tortura psicológica, terror e intimidação. Até a presença de trabalhadores da atenção básica à saúde foi retirada, em plena pandemia de COVID-19, em que as ações de vacinação estão sendo conduzidas para as populações de risco. Todo esse ataque aos camponeses ocorre a despeito do Juiz responsável pelo processo de reintegração de posse ter suspendido a mesma, garantindo, mesmo que provisoriamente, a presença dos camponeses no local.

Numa escalada de agressões contra o acampamento, no dia 14 de maio, os policiais atacaram covardemente dez camponeses, prendendo outros quatro, em acusações infundadas e forjadas com maquinação ilegal de plantar provas de crimes.

A região é parte da antiga fazenda Santa Elina, onde ocorreu o episódio que ficou conhecido como “Massacre de Corumbiara” em 1995, lembrado pelos camponeses como a Heroica Resistência Camponesa de Corumbiara, quando 12 camponeses que ocupavam a fazenda foram mortos pelas forças policiais e outras dezenas foram covardemente torturadas e espancadas, inclusive mulheres e crianças. Essa ação hedionda ocorreu sob o comando do coronel José Hélio Cysneiros Pachá, hoje o secretário de segurança pública do Estado de Rondônia, que está à frente de ações ilegais perpetradas contra os camponeses que ocupam a área.

A luta pela terra é um direito legítimo, devendo a terra atender a sua função social conforme previsto na Constituição Federal (artigo 186, CF/88). São os camponeses que de fato dão a destinação social constitucional à propriedade quando ocupam e transformam área improdutiva em área produtiva. São os camponeses que produzem os alimentos que chegam às mesas dos brasileiros, que hoje sofrem com a fome e a pandemia. Não podemos fechar os olhos e virar as costas às mais de duzentas famílias, entre mulheres, crianças e idosos, que têm resistido incansavelmente a essas ações ilegais que constituem verdadeira tortura e terrorismo de Estado. 

Nos somamos a outros democratas no Brasil e no mundo que têm manifestado sua solidariedade a Liga dos Camponeses Pobres quando afirmam: “Devemos deixar a mentira continuar? Devemos deixar que acusem camponeses armados de enxadas, paus, pedras, armas de caça comuns, que se defendem contra forças pagas pelo latifúndio quando estas os atacam, de terroristas? Que usem isso como justificativa para novos massacres?”

Em diversas situações em que Bolsonaro e Generais se depararam com mobilizações populares sempre tentaram desqualificá-las, acusando os ativistas e as organizações de serem “Terroristas”. Declarações que ganham corpo em um cenário onde avança a implementação de um verdadeiro Estado policial contra o povo, de intensa criminalização da pobreza e cerceamento paulatino do livre direito de manifestação e organização. O ataque ao acampamento Manoel Ribeiro e a Liga dos Camponeses Pobres é um ataque a todos os que lutam nesse país.

Exigimos a imediata suspensão de todas as ações perpetradas pelos órgãos de segurança do estado de Rondônia e do governo brasileiro, inclusive o envio da Força Nacional de Segurança para região e liberdade imediata aos camponeses do acampamento Manoel Ribeiro presos no dia 14 de maio de 2021.

Manifestamos nosso apoio e solidariedade aos camponeses do Acampamento Manoel Ribeiro, à Liga dos Camponeses Pobres e a todo o movimento camponês em luta pela terra. Repudiamos as difamações e a criminalização organizada pela polícia militar do estado de Rondônia em conluio com o latifúndio e sua imprensa marrom para justificar um massacre aos camponeses naquele estado, insuflados pelos governos estadual e federal, particularmente com as declarações recentes de Bolsonaro: 

“O nosso governo poucas invasões tivemos no campo, …. Se bem que, deixo claro, temos um foco mais grave que os malefícios causados pelo MST em Rondônia. Nós temos aqui um exemplo da LCP, Liga dos Camponeses Pobres, que tem levado terror ao campo naquele estado. Estive reunido esta semana com o governador, ministro da justiça, para traçarmos uma estratégia de como conter este terrorismo, que obviamente começa no campo e com toda certeza pode ir pra cidade.”

(Participação por videoconferência na 86ª Expozebu, 1ª de maio de 2021)

“LP, se prepare, não vai ficar de graça, no barato, o que vocês tão fazendo. Não tem espaço aqui pra grupo terroristas. Nós temos meios de fazê-los entrar no eixo e respeitar a lei .”

(Inauguração de ponte sobre o Rio Madeira, 7 de maio de 2021)

Conclamamos todos os setores democráticos e progressistas a se solidarizarem ao movimento camponês em luta naquele estado e a denunciarem essa patranha criminosa contra a Liga dos Camponeses Pobres (LCP) e a tentativa de massacre ao acampamento Manoel Ribeiro. É urgente que essa situação seja amplamente conhecida nacionalmente e internacionalmente para barrarmos esse crime que se desenha no estado de Rondônia.

LIBERDADE PARA OS PRESOS POLÍTICOS DO ACAMPAMENTO MANOEL RIBEIRO!

LUTAR NÃO É CRIME!

TERRA PARA QUEM NELA VIVE E TRABALHA!

ABAIXO A PERSEGUIÇÃO AO MOVIMENTO CAMPONÊS!

Para ser um signatário envie um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Assinam esta nota:

Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos – CEBRASPO

Associação Brasileira de Advogados do Povo – ABRAPO

Associação de Juízes para a Democracia – AJD

Associação Brasileira de Reforma Agrária – ABRA

Ouvidoria Geral Externa da Defensoria Pública de Rondônia

Conselho Indigenista Missionário - CIMI/Regional Rondônia

Diretoria Colegiada do Grupo Tortura Nunca Mais/RJ - GTNM/RJ

Frente nacional Contra a Privatização da Saúde

Associação de Docentes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – ASDUERJ

Associação de Docentes da Universidade Federal do Amazonas - ADUA

Associação dos Trabalhadores Em Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - ASUNIRIO

Associação de Docentes do CEFET/RJ – ADCEFET-RJ

Associação de Pós-Graduandas/os da Faculdade de Educação da Unicamp - APG/FE/UNICAMP

Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Estado do Rio de Janeiro – SEPE-RJ

Sindicato dos Servidores do Colégio Pedro II - SINDSCOPE

Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro – SINDPETRO/RJ

Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Rondônia - SINTERO

Sindicato dos Professores e Professoras no Estado de Rondônia – SINPROF/RO

Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus - ASPROM/SINDICAL

Sindicato Municipal dos/as Servidores/as da Educação do município de Goiânia – SIMSED/GO

Sindicato dos Trabalhadores da Educação Básica Técnica e Tecnológica do Estado do Paraná – SINDIEDUTEC-PR

Centro de Defesa dos Direitos Humanos Pedro Lobo - CDDH-PL

Asociación Gremial de Abogados y Abogadas de La Repúlica Argentina

Amit Bhattacharyya, Retired Faculty, Jadavpur University - Kolkata, Índia. 

Tribune of the People – Tribuna do Povo, Jornal Democrático dos EUA.

Ennio Candotti, professor de física da Universidade Federal do Espírito Santo e ex-presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso (SBPC) por quatro mandatos.

Carlos Frederico Mares de Souza Filho, professor da Pontífica Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) foi Procurador Geral do Estado do Paraná e do INCRA, ex-presidente da FUNAI

Roberto Leher, ex-reitor e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Dom Roque Paloschi, Arcebispo de Porto Velho e Presidente do Conselho Indigenista Missionário (CIMI)

Padre Júlio Renato Lancelotti, Vicariato Episcopal para a Pastoral do Povo da Rua

Vladimir Safatle, professor titular da cadeira de Teoria das Ciências Humanos da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP)

Luiz Eduardo Soares, antropólogo, cientista político e escritor

Virgínia Fontes, historiadora da Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Eduardo Viveiros de Castro, professor de Pós-Graduação em Antropologia Social no Museu Nacional/UFRJ

Dermeval Saviani, Professor Emérito da UNICAMP, Pesquisador Emérito do CNPq e Professor Titular Colaborador Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNICAMP.

Dr. José Claudinei Lombardi, professor Titular da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Dr. Siro Darlan, desembargador do Tribunal de Justiça do estado do Rio de Janeiro

Dr. João Tancredo, advogado e fundador do Instituto de Defesa dos Direitos Humanos

Emilson Frota de Lima, professor indígena do Povo Munduruku

Kretã Kaigang, liderança do povo Kaigang e dirigente da Associação dos Povos Indígenas do Brasil / Região Sul

Rosa Maria Guarasugwe Frei Moraes, Liderança Indígena Povo Guarasugwe

Elivar Karitiana, Liderança do Povo Indígena Karitiana

Carlos Latuff, Cartunista

Peter Pál Pelbart, filósofo, ensaísta e editor

Armando Babaioff, ator e produtor

Soraya Ravenle, atriz e cantora

Fóruns e Redes de Cidadania do Maranhão

Comitê Chico Mendes do Acre

Central Única dos Trabalhadores de Rondônia – CUT/RO

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil de Rondônia – CTB/RO

Comissão Pastoral da Terra /Regional Rondônia – CPT/RO

Sindicato dos Trabalhadores Químicos e Papeleiros no ES – SINTICEL/ES

Sindicato dos Trabalhadores na Silvicultura, Plantio, Tratos Culturais, Extração, Beneficiamento da Madeira, em Atividades Florestais e Indústria Moveleira do Extremo Sul da Bahia - Sintrexbem

Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência

Movimento Mães de Manguinhos

Movimento Mães Sem Fronteiras / Complexo do Chapadão

Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania

Instituto de Cidadania e Direitos Humanos de Minas Gerais

Grupo de Estudos e Pesquisas História Sociedade e Educação no Brasil – HISTEDBR/UNIR

Núcleo de Pesquisa e Estudos Sobre Políticas Públicas, "Questão Social" e Serviço Social - NUPEQUESS/UFRJ

Núcleo Transdisciplinar Subjetividades, Violências e Processos de Criminalização - TRANSCRIM - UFF

Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa e Intervenção Social - LIPIS/PUC-Rio

Laboratório de Pesquisa em Educação Histórica - LAPEDUH/UFPR

N-1 edições - editora 

Raquel Braga, juíza aposentada do TRT/RJ, membra da Associação de Juízes para a Democracia (AJD) e da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD)

Marcelo Chalréo, advogado e conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil/Seção Rio de Janeiro (OAB/RJ)

Anderson Bussinger, conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil/Seção Rio de Janeiro (OAB/RJ) e do Conselheiro Universitário da Universidade Federal Fluminense (CUV/UFF)

José Agripino da Silva Oliveira, membro da Comissão de Direito Constitucional da OAB/RJ

Paulo Horn, advogado e ex-assessor-chefe da assessoria jurídica do ITERJ - Instituto de Terras do Estado do Rio de Janeiro

Ítalo Pires Aguiar, advogado e Conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil/Seção Rio de Janeiro (OAB/RJ)

Isabel Teixeira, atriz e diretora

Ricardo Muniz, editor e produtor

Eliana Caruso, produtora

Isaac Bernat, ator e diretor

Letícia Isnard, atriz

Julia Bernat, atriz

Stella Rabello, atriz

Eliana Ferreira de Castela, atriz e poeta.

Jorge Carlos Amaral de Oliveira, ator e artista plástico

Igor Mendes, escritor

Casa Norte, grupo musical do Rio de Janeiro

Guego Favetti,  Músico 

Marcos de Almeida Campelo, músico Paraense

Rafael Lima, músico Paraense

Daniel Mazola, jornalista e editor chefe do jornal Tribuna da Imprensa Livre

Drª Silvia Cristina Conde Nogueira, Diretora da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Amazonas (FACED/UFAM)

Kate Lane Paiva, presidente da Associação de Docentes da Universidade Federal Fluminense (ADUFF)

Luciana Manta, presidente do Sindicato dos Bibliotecários do Estado do Rio de Janeiro (SINDIB-RJ)

Simone Mendes Lima, enfermeira e Diretora Secretária Geral do Sindicato dos Trabalhadores da Fiocruz (ASFOC-SN)

Elizabeth Soares Dutra, psicanalista e coordenadora-geral do SINDSCOPE

José Sávio da Costa Maia - Segundo Vice-presidente da Regional Norte 1 do Andes-SN.

Sanaúd – Juventude Palestina

Coletivo Mura de Porto Velho

Coletivo Carcará – Fortaleza (CE)

Rede Alerta contra o Deserto Verde

Fórum Pernambucano pela Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional

Cooperativa De Agricultores de Volta Grande do Xingu - Pará

Movimento Negro Unificado do Rio de Janeiro

Organização Comunista Arma da Crítica – OCAC

Coletivo Marxista de Base Trabalhadores e Estudantes Revolucionários - COMBATE(R)/Maranhão

Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado / Rio de Janeiro – PSTU/RJ

Comitê de Solidariedade a Luta dos Povos / Paraná – CSPL/PR

Comitê Sanitário de Defesa Popular Pinhais

Instituto Democracia Popular - IDP / Curitiba

Rede de Médicos e Médicas Populares

Grupo de Estudos Gabriel Pimenta - Direito UFPR

Revista Veias Abertas – UERJ

Coletivo COMBATE

Grupo de Estudos ao Povo Brasileiro

Acácio Augusto, professor do Departamento de Relações Internacionais da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Maria de Fátima Siliansky, professora associada do Instituto de Estudos Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Regina Helena Simões Barbosa, professora aposentada do Instituto de Estudos Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

José Antônio Martins Simões, professor aposentada do Instituto de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Romildo Vieira do Bomfim, professor da faculdade de medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Prof. Dr. Artur de Souza Moret - Coordenador do Grupo de Pesquisa Energia Renovável Sustentável; Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente- PGDRA

Eliomar Pires - Advogado e presidente dos Egressos da UFG

Janete Luzia Leite, professora titular da Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Edemilson Paraná, professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade de Brasília (UnB)

Nazira Camely, professora da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Maria Helena Zamora, professora de psicologia da Pontífica Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO)

Maria Orlanda Pinassi - Professora aposentada da Universidade Estadual Paulista – UNESP Araraquara 

Rondinelly Gomes Medeiros, pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal do Paraná (PPGFILOS/UFPR)

Francisco Paulo Cipolla, professor do Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Maria Auxiliadora Moreira dos Santos Scmidt, professora aposentada e atuante no programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná (PPGE/UFPR)

Drª Arminda Rachel Botelho Mourão, professora titular da Universidade Federal do Amazonas – PPGE/FACED/UFAM

Dr. José Alcimar de Oliveira, professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Antônio Pereira de Oliveira, professor do Departamento de Ciências Sociais Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Ana Lúcia Silva Gomes, professora do Departamento de Parasitologia do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Elciclei Faria dos Santos, professor do Departamento de Educação Escolar Indígena da Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Jorge Moraes Costa, professor aposentado da Universidade Federal do Pará (UFPA)

Luis Fernando Novoa Garzon, professor do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Lucia Rejane Gomes da Silva, professora aposentada da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)      

Dr. Valdir Aparecido de Souza, professor associado do Departamento de História/ Programa Mestrado História da Amazônia da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Carlos Luís Ferreira da Silva, professor da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Drª Marilsa Miranda de Souza, professora da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Dr. Paulo Aparecido Dias da Silva, professor da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Alisson Diôni Gomes, professor da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Edilson Lôbo do Nascimento, professor do Departamento de Economia da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Dr. Marco Antônio Domingues Teixeira, professor da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Aluizio Lins Leal, professor de economia e ciência política da Faculdade do Pará (FAP)

Prof. Me. Márcio Marinho Martins, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO)

Profª Drª Xênia de Castro Barbosa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO)

Prof. Dr. Mauro Henrique Miranda de Alcântara, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO)

Prof. Cleyton Pereira dos Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO)

Prof. Me. Alvino Moraes de Amorim, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO)

Uílian Nogueira Lima, Coordenador do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO/Campus Calama)

Deborah da Costa Fontenelle, professora do Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira – UERJ

Leonardo Kaplan, professor da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

André Reyes Novaes, professor associado do Departamento de Geografia Humana da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Mariana Araujo Lamego, professora do Departamento de Geografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Celia Maria Ferreira, escritora do Coletivo Sonia Peçanha de Mulherio das Letras Rio e professora da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Marcela Soares, professora do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Ana Maria Lana, professora da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Zuleide Simas da Silveira, professora da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Maria Lidia Souza da Silveira - Professora aposentada da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Felipe Castelo Branco, professor de filosofia da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Edson Benigno da Motta Barros, professor aposentado da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Dr. Adriano Henrique Ferrarez, professor do Instituto Federal Fluminense (IFF/Campus Itaperuna)

Déborah Danowski, professora do Departamento de Filosofia da PUC-Rio

Charleston José de Sousa Assis, Diretor Geral do Colégio Universitário Geraldo Reis – UFF

Carlos Augusto Aguilar Júnior, ex-dirigente sindical da Associação dos Docentes da Universidade Federal Fluminense (ADUFF) e professor do Colégio Universitário Geraldo Reis - UFF

Paulo Henrique Flores, professor do Colégio Universitário Geraldo Reis - UFF

João Mors Cabral – Produtor Cultural da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Dr. Luciano da Silva Alonso, professor associado Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Alexandre P. Mendes, professor de direito da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Karen Giffin, professora aposentada da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

Vinicius Ortigosa Nogueira, professor assistente do Departamento de Medicina da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Ana Lúcia Escobar, professora da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Ulysses Pinheiro, professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Ricardo Prestes Pazello, professor de Antropologia Jurídica da Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Maria Cecília Filipini, Advogada, militante dos direitos indígenas

Arão da Providência Guajajara, indígena e advogado da Aldeia Maracanã

José Guajajara, indígena e professor universitário da Universidade Indígena Aldeia Maracanã

André Luiz Conrado Mendes, advogado e professor universitário

Elder Duarte, bacharel em direito e empresário

Márcio Cordero Lopes, advogado

Dr. Afonso Maria das Chagas, professor do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) 

Elder Andrade de Paula - Prof. titular (aposentado)  do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) – Universidade Federal do Acre

Drª Walterlina Brasil, Diretora do Núcleo de Ciências Humanas da Universidade Federal de Rondônia (NCH/UNIR) 

Rozilene Magipo dos Santos, Estudante Indígena Sakirabiat, Universidade Federal de Rondônia (UNIR) 

Dr. Nilson Santos, professor da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Mestra Ariana Boaventura Pereira, Departamento de Libras da Universidade Federal de Rondônia (LIBRAS/UNIR) 

Giovana Maria Noleto Barros da Silva, dirigente sindical do Sindicato dos Urbanitários de Rondônia (SINDUR)

Prof. Me. Eder Carlos Cardoso Diniz, Instituto Federal de Rondônia (IFRO/Campus Vilhena) 

Prof. Dr. Reginaldo Martins da Silva de Souza, Instituto Federal de Rondônia (IFRO)

Ana Lúcia Escobar – professora do Departamento de Medicina da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) 

Dr. Ricardo Gilson da Costa Silva, professor da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Dr. Adilson Siqueira de Andrade, professor da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Maria José de Melo, geógrafa e escritora

Escola Bíblica: Vidas Desabrocham no Semiárido de Petrolina-PE e Juazeiro-BA

Articulação Judaica de Esquerda - AJE

ART220

Revista Pátria Distraída

Coletivo de Estudos em Marxismo e Educação - COLEMARX/UFRJ

Insurgencia Podcast

Comando de Luta da Educação de Aparecida de Goiânia

União Brasileira de Mulheres / Seção Paraná

Movimiento Guevarista “Tierra y Libertad” – Equador

Juventud Guevarista del Ecuador – Equador

Frente Obrero Revolucionario del Pueblo – Equador

Socorro Rojo y Negro – Equador

Movimiento Popular Tupak Amaru – Equador

Frente Femenino Popular “Manuela León – Equador

Escuela del Agua – Equador

Mídia Independente Coletiva – MIC

Frente Internacionalista dos Sem Teto – FIST

Coletivo Tempo de Resistência – CTR

Movimento de Moradores e Usuários em Defesa do IASERJ/SUS – MUDI

Movimento Independente dos Trabalhadores do Hospital do Andaraí

Victor Ribeiro, Witness Brasil

Ellen Francisco, Bombozila

Gláucia Marinho, Justiça Global

Mônica Cristina Brandão Santos Lima, indígena da etnia Manaú e ativista do movimento de Resistência Aldeia Maracanã

Carlos Augusto Lima França, jornalista

André Miguéis, documentarista

Patrick Decrescenzo, jornalista e cineasta

Margareth Bravo, ativista da Assembleia Popular do Largo do Machado/RJ

Rosane Leite, ativista da Assembleia Popular da Cinelândia/RJ

Marcus Giraldes, advogado e analista da FIOCRUZ

Wender Francisco de Assis, engenheiro agrimensor

Marcus Vidal Moura dos Santos, professor

Vinícios de Oliveira (Vinoli), cartunista

Maurício Campos dos Santos, engenheiro e militante de movimentos populares do Rio de Janeiro

Marcelo de Lucca, nutricionista do Hospital Federal do Andaraí

Rogério Pacheco Alves, professor adjunto da Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense (UFF) 

Jacqueline Lima, professora da Faculdade de Enfermagem da Universidade de Goiás

Geandro Ferreira Pinheiro, analista de ciência e tecnologia da Fundação Oswaldo Cruz

Ermógenes Souza, advogado

Marco Antônio Santos, psicólogo

José Leonardo Teixeira Costa, professor e ex-presidente do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (CEBRASPO)

Dra. Cecilia Siliansky de Andreazzi, pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

Gesa Linhares Corrêa, Secretária Executira da CSP CONLUTAS

Marcos Vinícios, vice coordenador geral do Centro Acadêmico de Pedagogia da UNIR/ Porto Velho

Centro Acadêmico Hugo Simas - CAHS (Direito UFPR)

Centro Acadêmico de Enfermagem Andréa Ribeiro dos Santos - UFG

Itamar Lages, coordenador do programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família do Campo na Universidade de Pernambuco

Vergínia Miranda de Souza, Professora e Indigenista

Maria Francisca de Miranda Coutinho, advogada, professora de Teoria do Estado

Americo Galvão Neto, psicólogo, professor e documentarista

Fernando Gallardo Vieira Prioste, advogado popular em conflitos agrários

Denise Filippetto, advogada trabalhista 

André de Paula, advogado da Frente Internacionalista dos Sem Teto (FIST)

Elza Maria Campos, assistente social e professora, dirigente da União Brasileira de Mulheres

Nuredin Ahmad Allan, advogado no PR

Anderson Preres da Silva, advogado no PR

Thiago Oliveira Agustinho, advogado no PR

Victor Leme, advogado popular

Ramon Bentivenha, advogado

Luciana Nogueira Nascimento - Jornalista

Gladimir do Nascimento - Jornalista

Adalberto Fávero - Historiador e mestre em Educação

Movimento Esmeraldinos Antifas – Torcedores do Goiás Esporte Clube

Melk Alexandre, estudante de serviço social da Universidade Federal da Paraíbe (UFPB)

Glauber Ataíde, Mestre e bacharel em Filosofia pela UFMG

Miguel Dahan, artista

Bruno Eduardo de Oliveira da Silva (solarwaver), artista

João Carvalho, historiador

Primitivo 1917

Torcida Resistência Coral

Movimento Amazonas Vermelho

Revista Amigo do Povo

Associação Democrática Brasileira

Coletivo Onças Pintadas

Sovietes Futebol Clube

Seremos Resistencia

Cineclube Marighella

Canal Filosofia Vermelha 

Frente Antifascista Maranhão

 Angelo Madson Tupinambá

Amanda Daniele Favacho Ferreira, estudante de Psicologia

Flávio Souza da Costa

Horley Macedo Lima Rodrigues

João Batista Fortes Ribeiro

Kelya Rhuane Antenora Matos, advogada

Marcelo Igor Castro França da Silva

Sofia da Silva Souza

Thiago Kazu Egoshi da Silva

Veja nota atualizada com novos signatários no site do Cebraspo.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin