México: Massas queimam o Instituto Nacional Eleitoral, urnas, e exigem liberdade para estudantes presos

Massas queimam o Instituto Nacional Eleitoral no dia 31 de maio, em Chiapas. Foto: Ángeles Mariscal

As massas do estado de Chiapas atacaram e queimaram as instalações do Instituto Nacional Eleitoral (INE), onde se localizavam parte das urnas para o novo ciclo da farsa eleitoral que ocorrerá em 6 de junho. Isso aconteceu em meio às manifestações que exigiam liberdade para os 19 estudantes normalistas de Mactumactzá que continuam presos, no dia 31 de maio. Foi deixada, no local, uma pichação escrita Liberdade aos normalistas!

Quatro veículos oficiais pertencentes ao INE que se encontravam no local também foram destruídos.

No dia 20/05, estudantes da Escola Normal Rural Mactumactzá já haviam realizado uma manifestação fora da sede do INE, onde picharam mensagens como Se não houver solução, não haverá eleição!, sobre a libertação dos estudantes.

Os protestos vêm ocorrendo desde o dia 18/05, quando 98 estudantes normais da escola rural de Mactumactzá foram detidos por protestar contra a realização online da prova de ingresso na instituição, afirmando que a maioria dos estudantes, camponeses, não tinham computadores próprios, ou mesmo tinham habituação com a utilização de computadores ou wifi. Entre os 98 estudantes presos, 74 eram mulheres, que relataram abusos sexuais por parte dos policiais durante a detenção. Quase 200 estudantes estavam desaparecidos depois da brutal repressão da polícia ao protesto.

O ataque ao INE do município de Tuxtla Gutiérrez se deu após, novamente, no dia 31/05, a polícia atacar estudantes de Mactumactzá e os camponeses e indígenas despejados do município de Chenalhó, em Chiapas, que se alojavam nas instalações da escola normal, enquanto os protestos continuavam. Os estudantes e camponeses foram reprimidos com balas de borracha e gás lacrimogêneo.

Os normalistas também bloquearam, mais cedo naquele dia, em Tuxtla Gutiérrez, o cruzamento da Libramiento Norte com a Vicente Fox, onde detiveram caminhões de empresas privadas em Chiapas, além de um caminhão de combustível.

Em resposta à tentativa de dispersão pela polícia com balas de borracha e gás lacrimogêneo, eles atiraram fogos de artifício e pedras.

Diante da sanha sanguinária do velho Estado em reprimir o povo, as massas responderam atirando pedras, paus e coquetéis Molotov contra o INE. Rechaçando a farsa eleitoral, as massas em luta amplamente denunciam que o governo de turno, que se autointitula o movimento da “quarta transformação do México” (“Movimento 4T”), de esquerda oportunista, na verdade só faz atacar as massas, entre elas os estudantes.

Atualmente, o “Movimento 4T” e os governadores regionais estão lançando uma campanha de mídia contra o movimento de formação de professores em todo o país e contra a própria educação pública. Desta forma, eles justificam sua sangrenta repressão contra estudantes e professores democráticos.

Protesto realizado em Chiapas rechaçando a repressão ao protesto dos estudantes de Mactumactzá no dia 31/05. Foto: Reprodução/ desinformemonos.org

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro