Historiador João Carvalho move campanha de apoio material para a LCP

João Carvalho expressou seu apoio e solidariedade à LCP. A organização camponesa está enfrentando um processo de perseguição e criminalização por parte do velho Estado. Foto: Reprodução

João Carvalho, personalidade democrática conhecida em plataformas virtuais, compartilhou em suas redes sociais (@assimdissejoao no Twitter) no dia 10/06 um link para depósito em pix para arrecadar verba para a LCP (Liga dos Camponeses Pobres). Até o momento, foram arrecadados R$3,000.

A redação de AND entrou em contato com João, recebendo uma calorosa saudação. Na carta João reconhece o importante farol que é a LCP para a luta popular no Brasil e a necessidade de impulsionar o apoio geral à ela.

"É desnecessário dizer como o cerco do latifúndio e do carcomido Estado Burocrático filofascista se fecha contra as lutas justas das massas do campesinato. Nos últimos meses estamos assistindo a uma escalada da repressão aos movimentos sociais de forma mais difusa e, sobremaneira, em relação à luta da Liga em particular", escreveu João.

"O recente manifesto assinado por democratas de todo o mundo levantado pelos nobres companheiros do GEAPB, do qual tive a honra de ser um dos primeiros leitores e cossignatários, bem como o manifesto encabeçado pelos companheiros do CEBRASPO nos mostraram, a um só tempo, a justeza da luta da Liga e sua ampla aceitação nacional e global como também o recrudescimento dos aparatos opressores burgueses, seja o braço armado estatal, seja sua mídia cativa que cônscios da correção da linha adotada tal qual hienas ululam em desespero.

A materialidade dessas perseguições se deu com o cerco ilegal contra o Manoel Ribeiro, a invasão da sede local da Liga, a prisão de exceção contra os quatro companheiros que lutavam por sua sobrevivência, a expedição dos mandados ilegais de prisão contra mais dezenas de companheiros, entre outros mandos e desmandos do latifúndio sob o sólido suporte do Estado burguês.

Frente à essa realidade é dever, é tarefa revolucionária de cada verdadeiro democrata a denúncia dos fatos e a organização das massas, sempre no seio das mesmas, com as mesmas e para as mesmas, no sentido de concretizarmos a tão necessária revolução de novo tipo que nosso país urge que triunfará em sua segunda e real independência.

Nesse sentido, ao aporte ideológico também é justo que se some o aporte material. Foi pensando nas necessidades candentes dos companheiros e companheiras que tiveram seu ganha pão e sua moradia brutalmente extirpados pelo aparato repressor estatal que organizei por meio das redes sociais um chamado a que todos se unissem em prol da liga contribuindo na extensão de sua capacidade. Obtivemos nessa campanha relâmpago quase uma centena de doações que totalizaram 3 mil reais que já foram repassados à Liga".

Foto da Campanha.

João está atualmente arrecadando fundos para a feitura e publicação de um livro de compilação de documentos do histórico Congresso de Baku, que pode ser acessado no site do projeto (catarse.me/baku).

"O Congresso, que em setembro deste ano celebra 101 anos, é um marco na luta anticolonial e foi o momento de decisiva ruptura onde a Internacional Comunista, consciente da necessidade das lutas dos povos escravizados pelo capital e pelo colonialismo trocou o seu lema de "trabalhadores do mundo uni-vos" para "trabalhadores e POVOS OPRIMIDOS DO MUNDO uni-vos". O material que ora vertemos ao português a partir das atas estenográficas originais em inglês, francês e russo, traz importantes discussões acerca da relação entre campesinato e revolução, revolução e questão nacional e islamismo e religião e revolução", escrever João. Sobre a atualidade do Congresso, mesmo após um século de sua realização, ele diz: "Conhecer as lutas engendradas por aqueles povos e fortalecer o nosso arsenal crítico e nossas possibilidades de escolha diante dos desafios que couberam à nossa geração".

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin