BA: Estudantes UFBA são detidos por divulgarem ato do dia 19 de junho

Estudantes foram detidos pela PM da Bahia por fazerem convocação para ato do dia 19 de junho. Foto: Reprodução

Dois estudantes da Universidade Federal da Bahia (UFBA) foram agredidos e detidos por policiais militares (PMs), no dia 16 de junho, após, supostamente, serem pegos colando cartazes na estação de metrô Rodoviária, em Salvador, na Bahia. Os cartazes convocavam o povo para o ato nacional do dia 19 contra o governo militar genocida de Bolsonaro.

Os policiais tentaram associar os dois a grupos ou facções criminosas para intimidá-los. Após recolherem a identidade dos dois jovens negros começaram a ridiculariza-los e disseram que eles estavam “acabados” após olharem suas fotos na identidades. Os estudantes contaram que levou cerca de uma hora para que eles fossem atendidos pelo delegado. Nesse intervalo relatam que viram outros detidos sendo tratados de maneira truculenta, sendo ridicularizados ou agredidos. 

“Fomos tratados com muita truculência por parte da Polícia Militar e isso reflete o nível de repressão e criminalização aos movimentos sociais que estamos vivendo. Com isso, pensaram que iriam nos amedrontar, mas muito pelo contrário, só reforça ainda mais a necessidade de lutar contra esse sistema capitalista e esse governo fascista do Bolsonaro. É preciso dizer que lutar não é crime!”, afirmou o estudante e integrante da equipe da revista O Sabiá, Ícaro Vergne.

Também durante essa espera foram intimidados pelos PMs por suas posições políticas. De acordo com os estudantes, os militares defendiam fervorosamente o presidente fascista Bolsonaro e permaneceram ridicularizados e ofendendo os jovens. Durante o tempo que passaram na delegacia, os estudantes também viram outros detidos sendo tratados de maneira truculenta, sendo ridicularizados ou agredidos.

Um inquérito foi aberto contra Matheus e Ícaro, sob a acusação de "dano ao patrimônio público", considerado um crime de baixa letalidade.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin