Povo Guarani Kaiowa lança carta ao povo brasileiro: "Se atacarem um de nós, todos nos levantaremos!"

Lideranças dos povos originários Gaurani Kaiowá lançaram uma carta denunciando a criminalização da luta pela terra. Reunidos em grande assembleia do povo Guarani e Kaiowá no tekoha Kunumi Poty Verá, retomada localizada no município de Caarapó que compõe a Terra Indígena Dourados Amambai Peguá I, entre os dias 21 a 24 de junho, os indígenas discutiram os rumos de sua luta e tiraram uma série de definições. A carta que reproduzimos a seguir denuncia os ataques de Bolsonaro feitos contra o movimento camponês de Rondônia.

Leia a seguir a íntegra da carta.


Carta dos povos originários Guarani Kaiowa ao povo brasileiro,

Não aceitaremos a criminalização da luta pela terra! Se atacarem um de nós, todos nos levantaremos!

Nós, lideranças do povo originário Guarani Kaiowa, reunidos no tekoha-guasu Dourados Amambaipegua I (Caarapó-MS), viemos nessa carta denunciar os ataques de Bolsonaro e outros politiqueiros aos companheiros da Liga dos Camponeses Pobres e do acampamento Manoel Ribeiro, em Rondônia. Os camponeses tem avançado para conquistar um pedaço de chão, produzir e ter uma vida digna. Mas esses não são os interesses dos latifundiários, que atacam de todas as formas a luta pela terra. 

Bolsonaro, como representante dessa classe que nos explora e oprime mais de 500 anos, atacou os movimentos camponeses, indígenas e quilombolas dizendo que, no seu governo, uma de suas prioridades é impedir as “invasões” de terra, demonstrando seu ódio contra os companheiros da LCP, os chamando de criminosos e terroristas. Depois de diversos ataques por parte de pistoleiros e da policia, ainda prenderam quatro acampados acusando eles de tentativa de homicídio, sem nenhuma prova. E mais recente invadiram a sede do movimento, numa verdadeira caçada aos camponeses que tem resistido. Repudiamos este cerco e criminalização.

Quando Bolsonaro declara guerra aos camponeses da Liga, declara guerra a todos aqueles que lutam pelo seu território. Nos solidarizamos e somamos a luta dos companheiros pois sabemos, em nossos 500 anos de resistência, o que é enfrentar estes ataques. Como por exemplo, onde realizamos esta reunião, o sangue dos nossos companheiros é a semente com que temos lutado, avançando nossa organização para resistir e demarcar nosso território. Em 2016, fazendeiros em dezenas de caminhonetes atacaram nossa retomada, assassinando o agente de saúde Clodiodi de Souza, ferindo gravemente vários indígenas, incluindo uma criança de 12 anos. Como guerreiro que somos, batalhamos e até hoje seguimos firme nas retomadas. Ainda depois do ataque prenderam Leonardo de Souza, pai de Clodiodi, acusando ele de vários crimes (também sem nenhuma prova). Hoje, Leonardo segue preso, sem acompanhamento, tendo sido negada até sua prisão domiciliar – mesmo ele sendo do grupo de risco da Covid-19.

O Conselho Aty Guasu se solidariza com a Liga dos Camponeses Pobres, pois entendemos que os mesmos que atacam a luta dos camponeses atacam também os povos indígenas. Seja por baixo, com grupos de pistolagem, ameaças, prisões, etc. Seja por cima, com retirada de direitos, como a PL-490 (que entrega ao agronegócio e multinacionais as terras dos indígenas para exploração) e o Marco Temporal. Condenamos estes ataques e esta criminalização. Se pensam que estamos sozinhos, estão enganados! E a cada batalha seguimos aprendendo e nos tornando mais fortes!

Lutamos: contra a perseguição aos movimentos e lideranças dos povos; contra a implementação da PL-490 e do Marco Temporal; pela autodemarcação das terras indígenas e conquista da terra dos camponeses; pela liberdade de Leonardo Guarani Kaiowa e também dos camponeses Stefane, Luiz Carlos, Ricardo e Ezequiel. E afirmamos aos nossos irmãos camponeses do acampamento Manoel Ribeiro: assim como somos donos de nossos territórios tradicionais, vocês são donos das terras da fazenda Santa Elina, e estamos unidos por essas lutas, contra o mesmo inimigo. Afirmamos nosso compromisso a todos que lutam por suas terras, que enfrentaremos em todos os cantos do Brasil, e unidos veremos o fim do latifúndio e a terra para quem nela vive e trabalha.

Conselho Aty Guasu

23 de junho de 2021

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin