Organizadores de Caravana pró-Bolsonaro são acusados de fraude

Site da vaquinha da Caravana. Foto: Reprodução

Organizadores de uma caravana pró-Bolsonaro denominada “Caravana da Liberdade”, estão sendo acusados de fraude. Pessoas que pagaram para terem direito a participar do comboio estão cobrando na justiça o reembolso das passagens.

A campanha foi lançada em abril de 2021 e tinha o objetivo de reunir cerca de 3 mil apoiadores de Bolsonaro para irem até Brasília em maio, quando aconteceram protestos da extrema-direita a favor do fascista. 

Os valores das passagens variavam entre  R$ 350,00, R$ 450,00 e R$ 550,00, dependendo da região do país de onde sairiam os ônibus.

Contudo o projeto nunca saiu do papel. A caravana chegou a ser marcada para junho. Porém no dia 16 desse mês, dia da suposta caravana, o idealizador do projeto afirmou que 30 ônibus partiram para Brasília e logo depois sumiu das redes sociais. O fraudador utilizava o nome Pablo Verdolaga na internet, ao ser questionado por seguidores no twitter, 

O sócio de Pablo na empreitada reacionária, Marcello Neves, após ser bloqueado pelo mesmo nas redes sociais, começou a investigá-lo e descobriu que Pablo na verdade se chamava Fábio Oliveira Leite.

Marcello Neves então revelou que a pedido de Pablo, os pagamento eram feitos por meio de transferência bancária e Pix. O destino era a conta de um “amigo de Pablo, chamado Fábio Oliveira Leite”.

"Eu não sabia quem era. Eu tinha os dados dele, CPF, dados bancários desse Fábio, mas ele (Pablo) dizia que era um amigo dele. Ele dizia que por conta da movimentação financeira, por conta do Imposto de Renda, os depósitos e transferências seriam no nome desse suposto amigo dele, o Fábio", contou Marcello.

A partir de então começaram as acusações de bolsonaristas de que Fábio teria embolsado o dinheiro da caravana e aplicado um golpe.

"Eu tinha fé que iríamos conseguir realizar o evento. Colaborei com R$ 350, era para eu estar dentro de um desses ônibus. Mas a caravana nunca aconteceu. Esse tipo de coisa enfraquece os movimentos da direita", lamentou uma bolsonarista.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin