Ações em solidariedade aos quatro camponeses presos de Rondônia e à LCP são realizadas mundialmente

Maior jornal de esquerda na Alemanha publica matéria sobre a LCP

O jornal alemão Junge Welt (Mundo Jovem, em português), com mais de 20 mil tiragens diárias, publicou em junho na sua terceira página (a página em foco), um artigo sobre o movimento camponês revolucionário no Brasil, mais precisamente a Liga dos Camponeses Pobres (LCP).

Na ocasião, mas não exclusivamente, o Junge Welt reportou em sua página de foco, a luta atual dos camponeses pobres e sem-terra de Rondônia. O assunto é tratado em três artigos. O artigo principal, intitulado “Voltaremos!”, conforme o que a LCP demarcou em sua última declaração, é principalmente sobre a situação atual em Rondônia, assim como sobre o massacre que o velho Estado brasileiro está preparando, os responsáveis ​​por ele. Também sobre a luta dos camponeses pobres contra seus algozes, finalmente, sobre a retirada que o LCP decidiu fazer. 

Nos segundo e terceiro artigos, o jornal relatou a forma como o LCP foi organizada, bem como a grande campanha de solidariedade internacional que se desenvolveu em várias partes do mundo. A coletivização das terras e a nova cultura e ideologia promovidos nas áreas revolucionárias foram expostos pelo jornal, e a campanha de solidariedade internacional foi descrita como: "do Canadá à Noruega à Austrália".

Manifestação na Áustria é realizada com personalidades democráticas nacionais

Na Áustria, no dia 7 de maio, foi realizada uma manifestação na embaixada brasileira em Viena, chamada Previna o Massacre!, que contou com ativistas revolucionários e personalidades democráticas nacionais e internacionais, como Leo Gabriel, membro do Conselho Internacional do Fórum Social Mundial, jornalista e antropólogo; Martin Müllauer, presidente do FSG (sindicato social-democrata de Viena) e Leo X. Gabriel, Politólogo. 

Também estavam presentes a Coordenação Antiimperialista, o sindicato KomInter e a organização de migrantes Migrante Áustria.

Leo Gabriel, há muito conhecido como ativista da solidariedade latino-americana e conselheiro do Fórum Social Mundial, apontou para a enorme militarização do aparato estatal brasileiro, que leva à ampliação cada vez maior da repressão aos direitos democráticos do povo.

Os ativistas entoaram palavras de ordem como Viva a LCP! e fizeram falas explicando a então situação do Acampamento Manoel Ribeiro, cercado, antes que os camponeses quebrarem o cerco da reação.

Leo Gabriel, membro do Conselho Internacional do Fórum Social Mundial, jornalista e antropólogo. Foto: brasiliensolidaritaet-wordpress-com

Foto: brasiliensolidaritaet-wordpress-com

Também, na 76ª comemoração da libertação do nazismo no campo de concentração de Mauthausen, em final de maio, uma foto foi tirada em solidariedade aos camponeses revolucionários do Brasil. 

As informações sobre as manifestações foram publicadas em um novo site criado apenas para divulgar a luta revolucionária no Brasil, de nome https://brasiliensolidaritaet.wordpress.com.

Ativistas realizam protesto na Finlândia 

Na cidade de Tampere, na Finlândia, no dia 18/06, uma manifestação de solidariedade ao movimento camponês revolucionário brasileiro foi realizada no Mercado Central de Tampere.

A manifestação denunciou as ações do governo reacionário brasileiro, e em particular do governo de Rondônia, para criminalizar e atacar a LCP, como, por exemplo, assassinatos de camponeses e buscas domiciliares ilegais. Atenção especial foi dada aos quatro camponeses presos: Ezequiel, Luis Carlos, Estefane e Ricardo. 

Além disso, ativistas expuseram a resistência heróica dos camponeses na Batalha de Santa Elina, proclamaram solidariedade ao movimento camponês revolucionário no Brasil e forneceram apoio à justa luta do povo brasileiro.

Estava estendida uma faixa com a frase Solidariedade com o movimento camponês revolucionário no Brasil! VIVA A LCP!, assim como um cartaz com a foto dos quatro camponeses presos e outros escritos Marcos Rocha é um assassino! e Cisneiro Pacha é um assassino!.

As informações sobre a manifestação foram publicadas em um novo site criado apenas para divulgar a luta revolucionária no Brasil, de nome https://uusibrasilia.wordpress.com/.

Em Tampere também foram realizadas pichações exigindo a liberdade para Ezequiel, Luís Carlos, Estefane e Ricardo.

Foto: uusibrasilia.files.wordpress

Em Turku, os revolucionários organizaram uma mesa de solidariedade à LCP em Brahe Park, no coração da cidade, local com muitos transeuntes. Sobre a mesa estavam cartazes, folhetos e adesivos, recebidos com interesse pela tropa. Houveram várias discussões sobre a atual situação social no Brasil, a luta dos camponeses e a importância do internacionalismo proletário para a revolução mundial.

De acordo com os ativistas, os transeuntes demonstraram muito interesse pela LCP e expressaram seu profundo rechaço pelo governo de Bolsonaro.

Foto: Punalippu.noblogs.org

Ativistas realizam manifestação em embaixada na Dinamarca

Em 28/05, foi realizada uma manifestação em frente à Embaixada do Brasil, no centro de Copenhague. Panfletos foram distribuídos em apoio à LCP e houve também um discurso condenando a política genocida do velho Estado brasileiro e a preparação do massacre contra os camponeses pobres em Rondônia.

Ações pela libertação dos quatro camponeses presos são feitas no USA

Na cidade de Pittsburgh (Pensilvânia), uma faixa exigindo a liberdade dos quatro camponeses injustamente presos, que dizia Liberdade imediata para Ezequiel, Luis Carlos, Estefane e Ricardo! Viva a Revolução Agrária brasileira!, foi estendida. Já na cidade de Oxnard (Califórnia) foi realizado um grafite em solidariedade à LCP.

Faixa exigindo a liberdade dos quatro camponeses (Ezequiel, Luis Carlos, Estefane e Ricardo).

Revolucionários pintam mural na Noruega em solidariedade à LCP

Ativistas em Oslo pintaram um mural em solidariedade à LCP.

Foto: http://tjen-folket.no/

Comitê Novo Brasil na França realiza nova ação

Ativistas do Comitê Novo Brasil colaram, mais uma vez, cartazes sobre a situação que se desenvolve em Rondônia e, em particular, exigindo a libertação para os camponeses presos políticos.

Foto: comitenouveaubresil.wordpress.com.





NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin