RJ: Covarde como de costume, PM espanca e prende manifestantes no centro do Rio

Manifestação contra o governo militar genocida de Bolsonaro, no Rio de Janeiro. Foto: Banco de Dados AND

No final do ato do dia 13 de julho, no Rio de Janeiro, agentes do Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM) encurralaram, espancaram e prenderam manifestantes em frente ao prédio da Câmara Municipal, na Cinelândia, centro da cidade. O crime, a olhos vistos, ocorreu durante o protesto contra a privatização dos Correios e o governo militar genocida de Bolsonaro.

Agentes do Batalhão de Choque da PM também dispararam balas de borracha, sprays de pimenta e bombas de gás lacrimogêneo contra os cerca de mil manifestantes que protestavam no centro da capital fluminense. De acordo com informações primárias, ao menos cinco pessoas foram detidas.

Um manifestante, em relato ao AND, explicou que a senha para a repressão foi dada na Cinelândia, quando policiais encurralaram um grupo de jovens que estavam nas escadarias da Câmara Municipal.

PMs reprimem ato na Cinelândia. Foto: Cristiano Juruna


O ato teve sua concentração na Candelária, por volta de 17h. Os manifestantes saíram em passeata pela avenida Rio Branco. Durante a marcha, os manifestantes levaram faixas, como Abaixo o governo militar genocida de Bolsonaro e cartazes contra o governo militar de Bolsonaro, exigindo mais vacinação, emprego, auxílio emergencial digno e em solidariedade à luta camponesa em Rondônia, como Liberdade imediata para os 4 camponeses de Rondônia! Terra para quem nela trabalha! O próximo ato nacional está marcado para o dia 24 de julho.

Faixa exige liberdade imediata para os quatro camponeses presos políticos em Rondônia. Foto: Banco de Dados AND

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin