RR: Bombas de uso exclusivo do Exército são usados por garimpeiros ilegais atacar Yanomamis

Garimpeiros estão utilizando armamentos de controle exclusivo das Forças Armadas. Foto: Alexandro Pereira, Rede Amazônia

Armamentos de controle exclusivo pelo Exército e de uso restrito são utilizados por garimpeiros ligados ao narcotráfico. Os artefatos, que somente podem ser adquiridos pelas Forças Armadas ou pelas forças de repressão oficiais, são usados pelos grupos paramilitares que atacam desde maio quatro comunidades Yanomami localizadas na região Palimiu em Roraima.

Essa região das terras indígenas atualmente está sob invasão de aproximadamente 20 mil garimpeiros que têm três livres acessos às comunidades. Indígenas alegam que garimpeiros chegam de barcos atirando as bombas de gás lacrimogêneo para desorientar os indígenas e intimidá-los.

Conforme o Decreto 10.030/2019 responsável pela fiscalização é o Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados (SFPC) do Exército, que informou que os fatos estão sob “investigação” da Polícia Federal. O portal Brasil de Fato tentou contato com a Polícia Federal durante 21 dias para questionar como as bombas chegaram nas mãos de garimpeiros ilegais, mas não tiveram nenhuma respostas.

Os ataques começaram em maio, após indígenas aprenderem os maquinários dos invasores. Os povos originários também criaram barreiras nos caminho onde circula o garimpo ilegal e conseguiram interceptar mil litros de combustivel que abasteceria até aeronaves dos garimpeiros.

Leia também: Yanomami resistem a ataques de garimpeiros ligados ao narcotráfico

grande apreensão

No dia 29/06, segundo a Fundação Nacional do Índio (Funai), foi realizado a Operação Omama, em conjunto com forças repressão oficial para “combater” o garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami. Conforme divulgado no último dia 06/07, ocorreu apreensão de uma aeronave, uma máquina caça-níquel, quatro embarcações, dois motores, 12 geradores de energia, 22 bombas de propulsão, 3 mil litros de combustível, celulares, aparelhos GPS e aproximadamente R$ 3 mil em cédulas. Segundo o levantamento, cinco balsas também foram desativadas, e foram apreendidas três motores, 2,5 mil litros de combustível, além de ter sido realizada a “destruição” de 6 acampamentos de garimpeiros ilegais na região de Homoxi.

Ataques contra indígenas não param a luta por território

Sem escrúpulos, de forma ameaçadora, os invasores de terras matam a tiros cachorros da comunidade indígena, que não se intimidam e seguem firme em seus territórios.

Em junho, garimpeiros ilegais armados batem de forma proposital com seu barco contra uma canoa que afundou. Nela havia seis crianças, com idades entre dez e onze anos, e dois adolescentes que pescavam no Rio Uriracoera. Os indígenas caíram da embarcação e conseguiram correr pela mata sendo perseguidos pelos garimpeiros até chegar à Comunidade Yakepraopë onde receberam refúgio.

Em maio, aconteceu outro ataque semelhante: duas crianças indígenas, uma de 1 ano e outra de 5 anos, morreram afogadas após a colisão do barco provocada pelos garimpeiros ilegais.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin