MG: Após atos combativos, incêndio criminoso em território indígena destrói escola e casa de medicina tradicional

Na madrugada do dia 24 de junho, criminosos incendiaram escola indígena da aldeia Xakriabá. O fogo destruiu principalmente biblioteca e secretaria e atingiu também a casa de medicina tradicional, em São João das Missões, norte de Minas Gerais. O ataque ocorreu após manifestações e bloqueios de BRs ocorridos na região em protesto contra o PL 490/07 e o marco temporal. 

Queimaram todos os computadores e a principal casa de medicina tradicional que por muito tempo a comunidade lutou para preservar. Segundo a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), o crime ocorreu após “ameaças contra a vida das pessoas que vivem no território''.

Escola indígena da aldeia Xakriabá é alvo de incêndio após vigorosos atos. Foto: Reprodução

Imagens do momento em que parte das edificações da comunidade ardiam em chamas. Foto: Reprodução

Antes do ataque, indígenas rechaçaram o “Marco Temporal”

No dia 23, um dia anterior ao ataque, indígenas protestaram contra a PL 490/07, fechando  durante cinco horas a BR-135, localizada entre São João das Missões e Manga e também as estradas vicinais. No mesmo dia, o PL estava em votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados. O ato fazia parte do Levante Pela Terra, organizado pelos povos indígenas em todo países e lideranças acreditam que o crime ocorreu em represália às manifestações.

Em entrevista ao Conselho Indigenista Missionário (Cimi), a diretora e professora da escola, Cida Xakriabá, afirma que esta não é a primeira vez que o povo Xakriabá enfrenta ações desta magnitude. “Queimaram os prédios, mas nunca queimarão a história nem apagarão a luta e a resistência do nosso povo”, afirma.

Em 24 de junho, ato bloqueia a BR-135, localizada entre São João das Missões e Manga e outras vias da região. Foto: Reprodução

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin