Mali: Ataques contra forças da ocupação estrangeira ferem soldados alemães

Foto: Joerg Boethling

Em 25 de junho de 2021, um ataque com carro-bomba realizado no norte do Mali deixou 15 soldados da Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização do Mali (Minusma) feridos. A Minusma, força ligada à "Organização das Nações Unidas" (ONU), possui cerca de 13 mil soldados de diversos países atuando na sua intervenção no país africano da região do Sahel. 

Segundo publicações da ONU na internet, uma evacuação das tropas estava em andamento depois que um carro-bomba atingiu uma base temporária perto de Tarkint. Informações oficiais confirmaram que um dos soldados da ONU que ficaram feridos era belga, e outros 12 eram alemães, dos quais três ficaram gravemente feridos. 

No mesmo dia, outro ataque similar contra um posto militar avançado na aldeia de Boni, na região central do país, realizado por combatentes contrários à intervenção estrangeira no país, matou seis soldados do Mali. Quatro dias antes, um ataque com carro-bomba havia atingido seis soldados franceses que ficaram feridos, no centro do país.

A Alemanha emprega 1,1 mil soldados seus na Minusma, a maioria deles baseados em Gao. No início de 2021, o governo alemão aprovou uma prorrogação da participação da Alemanha na Minusma por pelo menos mais um ano, e manteve o atual número de soldados. Já a França, que encabeça a intervenção imperialista no Mali, possui 5,1 mil soldados em toda a região do Sahel, divididos no Mali, em Burkina Faso, Chade, Mauritânia e Níger. 

O ataque às forças da ONU ocorreu depois que o presidente francês Emmanuel Macron anunciou a retirada das tropas francesas do Mali e uma fusão em uma missão internacional mais ampla na região.

O portal de notícias alemão Dem Volke Dienen ("Servir Ao Povo"), ao tratar sobre o episódio, afirmou que "as lágrimas de crocodilo da imprensa e dos políticos sobre a suposta maldade deste ataque estão diretamente ligadas à demanda de finalmente equipar o Bundeswehr [forças armadas alemãs] com drones assassinos para que possa cumprir adequadamente suas tarefas". 

Segundo os democratas alemães, desde 2012, o Movimento Nacional para a Libertação de Azawad, um movimento do povo tuaregue, tem tentado reconquistar seu território tradicional do governo do Mali e proclamar sua independência. 

O Dem Volke Dienen publicou ainda que "o Bundeswehr e outras tropas imperialistas estão no país para proteger o odiado governo lacaio contra a resistência popular”. “As patrulhas da Bundeswehr, como a atacada, patrulham com o exército do Mali e, portanto, tornam-se naturalmente uma imagem inimiga das massas. Em parceria com os imperialistas, o estado do Mali é a causa da falta de desenvolvimento do país. As finanças do estado desaparecem nos bolsos de políticos, funcionários públicos e altos oficiais militares que competem pelo poder no Estado”, escreveram.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin