Irã: Trabalhadores do setor de petróleo estão em greve há mais de um mês; massas protestam contra falta de água e energia

Manifestantes constroem barricadas em chamas no Irã durante protestos contra falta d'água e energia elétrica. Imagem: Reprodução/ RadioFreeEuropeRadioLiberty

As massas de trabalhadores e jovens iranianos têm empreendido diversas lutas no país entre o mês de junho e julho. Os trabalhadores do setor do petróleo estão em greve há mais de um mês, enquanto o povo se rebela nas ruas contra falta de água e energia na maior seca da história do país.

A vitoriosa greve dos trabalhadores do petróleo

A greve dos trabalhadores do petróleo do Irã atinge, atualmente, pelo menos 117 instalações de petróleo e gás, refinarias e plantas petroquímicas em 17 províncias, com entre 60 e 100 mil trabalhadores tomando parte nela.

A luta dos trabalhadores se dá devido às suas condições de trabalho: as refinarias começaram a ser terceirizadas a partir dos anos 90. Isso faz com que hoje em dia os trabalhadores empregados em várias funções sejam contratados de forma temporária. Quando um determinado trabalho é concluído, o empreiteiro pode não precisar mais deles e, portanto, ficam desempregados. 

Os trabalhadores exigem, nessa greve, medidas básicas como um aumento salarial e aumento do seu piso salarial; o pagamento imediato das dívidas e o compromisso de pagar todos os salários em dia; licença de dez dias para cada 20 dias trabalhados; a abolição de empreiteiros e agências de trabalho temporário; disponibilização de equipamentos de segurança em todos os locais de trabalho, bem como sistemas adequados de refrigeração, aquecimento e ar condicionado; a reintegração de todos os colegas demitidos; melhores padrões de saúde em dormitórios de trabalhadores e outros espaços, como banheiros, banheiros, etc.

As exigências se expandiram durante o curso da luta e passaram a incluir coisas como o fornecimento de alimentação adequada e instalações médicas nos locais de trabalho, bem como seguro saúde gratuito para todos os trabalhadores.

Massas e outros setores de trabalhadores protestam

No dia 26 de julho, manifestantes se manifestaram na capital do Irã, Teerã, contra a falta d’água e energia elétrica. As chuvas caíram em 50% no país, causando cortes na energia hidrelétrica. Estiveram presentes nas manifestações, particularmente, os trabalhadores do setor de eletrônicos, que não têm conseguido trabalhar por conta dos cortes.

Enfermeiras e funcionários do hospital Khomeini, em Karajn, no mesmo dia também protestaram exigindo atraso em seus pagamentos.

Na cidade de Izeh, província do Khuzistão, trabalhadores do setor da água e esgoto continuaram sua greve pelo terceiro dia consecutivo naquele dia após recusa da empresa responsável em pagar seus salários atrasados.

Os protestos foram feitos também com barricadas em chamas e bloqueios de ruas.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin