SP: Armas, granadas e dez quilos de drogas são encontrados em batalhão da PM

Batalhão da PM servia era usado para armazenar drogas, armas e granadas ilícitas. Foto: Alex Ferraz

No dia 10 de agosto, durante uma operação da Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo (PMESP), agentes encontraram dez quilos de diversas drogas, armas, granadas e outros equipamentos utilizados para a venda de entorpecentes, dentro de um armário no 2° Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) de Santos, no litoral do estado de São Paulo. No mesmo edifício também funciona a Sede do 6º Comando do Policiamento do Interior (CPI-6).

A operação aconteceu após uma denúncia anônima. As substâncias e objetos estavam dentro de um armário sem identificação, localizado no corredor de acesso ao alojamento que é utilizado por subtenentes, sargentos, cabos e soldados. As drogas foram encontradas por meio de cães farejadores.

Ao total foram apreendidos 814 pinos de cocaína, 307 invólucros de maconha, 50 potes em acrílico e um saco a granel, 34 invólucros plásticos com cocaína, 14 sacos a granel e 1.202 pedras de crack. No total 10,252 quilogramas de drogas.

No mesmo armário também foram encontrados dois simulacros de pistola, uma espingarda, quatro cartuchos, três granadas, um martelo de borracha, uma luneta, dois telefones celulares, duas balanças de precisão e quatro bases para carregador de rádio.

Até o momento ninguém foi preso ou responsabilizado pelas substâncias e pelos objetos ilícitos.

Governadores de SP aumentam nível de repressão das massas

Em 2019, o 2° Baep foi apontado como o batalhão mais mortal da PM paulista, segundo um levantamento da Ouvidoria das polícias. Ele segue o padrão das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota), tropa de especial da PM paulista que é conhecida pelas suas execuções extrajudiciais.

Os Baeps foram criados em 2014 durante o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) para a operações de policiamento ostensivo, de “preservação da ordem pública” e contra “distúrbios civis e de antiterrorismo”.

Esta medida foi adotada pelo governador reacionário para enfrentar a crescente revolta das massas, insufladas pelos levantes de junho e julho de 2013. Prova disso é que os batalhões especiais atuaram fazendo a repressão em manifestações e despejos.

O atual governador de São Paulo, o reacionário João Doria, também do PSDB, expandiu os Baep para cidades do interior do estado. Em 2019, primeiro ano de seu governo, ele aumentou de 5 para 9 o número de batalhões especiais. Com isso, essas “tropas especiais'' passaram a atuar em 382 cidades paulistas.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin