Índia: 500 mil camponeses protestam contra lei pró-latifúndio

Camponeses protestam contra as leis agrícolas em Muzaffarnagar, no estado de Uttar Pradesh, Índia, em 5 de setembro de 2021. Foto: Adnan Abidi

Mais de meio milhão de camponeses se manifestaram no estado de Uttar Pradesh, na cidade de Muzaffarnagar, bloqueando todas as estradas ao redor da cidade, no dia 5 de setembro. Eles protestavam contra as leis pró-latifúndio que tentam ser implementadas desde o ano passado, mas que foram rechaçadas pelas massas, impedindo a sua aprovação.

A nova Lei do Comércio e Venda de Produtos, imposta pelo governo do fascista Narendra Modi, desmantela o Comitê de Mercado de Produtos Agrícolas, órgão conciliador do velho Estado cuja função é exercer uma força no mercado para que os preços dos produtos camponeses não fiquem muito abaixo do mínimo necessário para sua sobrevivência. Da forma atual, o que já ocorre é que os camponeses são jogados na miséria e na fome diante da competição com os grandes latifundiários e multinacionais imperialistas. Essa é a tendência que se reforçará. 

Outras mudanças na lei incluem também a possibilidade de os monopólios estocarem grandes quantidades de produtos para vender quando bem entenderem, o que pode levar à inflação, já que podem fazer com que uma grande quantidade de pessoas não encontrem disponíveis os produtos, aumentando o preço dos mesmos. As multinacionais da grande burguesia e do latifúndio poderão também impor os preços que comprarão os produtos, por serem monopólios.

Uma das leis também impede que os camponeses levem as empresas ao tribunal se essas violarem os contratos de compra dos produtos dos camponeses de qualquer forma.

 

Camponeses persistem na luta  

A manifestação do dia 05/09 foi o maior protesto desde o início do movimento em novembro passado. Os camponeses chegaram em ônibus e tratores, dias antes. 

Milhares de policiais se encontravam nas ruas antes do evento, mas não foram capazes de intimidar os camponeses e a manifestação continuou.

Sobre os camponeses que aos milhares bloqueiam as principais ruas de Delhi há meses, um camponês no protesto em Muzaffarnagar exclamou: "Não deixaremos o local do protesto [em Delhi] mesmo se nosso cemitério for feito lá. Daremos nossas vidas se necessário, mas não deixaremos o local do protesto até que saiamos vitoriosos!".

 

Camponês é morto pela polícia em Karnal

No dia 08/09, na cidade de Karnal, estado de Haryana, milhares de camponeses marcharam em direção a uma secretaria do governo para exigir liberdade aos camponeses presos no dia 28 de agosto e protestar contra as agressões e assassinato cometidos pela polícia naquele dia.

No dia 28, os camponeses protestavam contra a nova Lei do Comércio e Venda de Produtos durante uma reunião do governador com políticos do Bharatiya Janata Party (BJP, partido de Modi), quando foram reprimidos brutalmente pela polícia com cassetetes e canhões d’água. Pelo menos 10 pessoas ficaram feridas e uma delas morreu de ataque cardíaco em decorrência das agressões um dia depois. 

Viralizou o vídeo de um alto funcionário do governo instruindo policiais a "esmagar as cabeças dos camponeses" naquele dia.

No dia 08/09, repetiu-se a repressão brutal contra os manifestantes.

Camponeses marcham aos milhares até a secretaria de governo em Karnal. Foto: Reprodução

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin