MG: Geraizeiros protestam e paralisam atividades de monopólio Norflor

Um protesto realizado no dia 10 de setembro por camponeses da comunidade de Curralinho, na região do Vale do Jequitinhonha, no Norte de Minas, paralisou as atividades da Norflor Empreendimentos Agrícolas (Norte Minas Florestal), um monopólio de monocultura de eucalipto e exploração mineral, em Josenópolis.

Os geraizeiros, camponeses de comunidades tradicionais que vivem nos campos gerais do norte do estado de Minas Gerais, denunciam que a Norflor vem a anos invadindo suas terras com a conivência do judiciário que reluta em reconhecer a identidade da comunidade beneficiando assim os grileiros. Além das invasões, o latifúndio contamina o solo e as nascentes d'água, além de implementar obras com maquinário pesado na área. As denúncias são dos camponeses organizados pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

Geraizeiros protestam contra mineração. Foto: Mab

A ocupação dos territórios tradicionais e a resistência dos geraizeiros

A região no Norte de Minas invadida por monopólios de eucalipto é território de 73 comunidades tradicionais geraizeiras que estão ali há ao menos 150 anos, entre os municípios de Grão Mogol, Padre Carvalho e Josenópolis.

A grilagem das terras para o plantio de eucalipto foi altamente impulsionada após, em conluio com o latifúndio, o governo federal criar a partir da década de 70, programas de estímulo à monocultura no local como a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e a extinta Fundação Rural Mineira de Colonização e Desenvolvimento Agrário (Ruralminas). Estas ações ignoraram a existência das comunidades tradicionais e terras foram griladas à revelia dos que ali viviam.

Leia também: Eucalipto: O reflorestamento do capital financeiro

Mapa das empresas de eucalipto Norflor Empreendimentos Agrícolas e Rio Rancho Agropecuária sobre o território geraizeiro. Foto: Camila Pavanelli

A Norflor adquiriu a área que hoje reivindica através da Bagatelle Imobiliária Ltda. e do Grupo “Newton Cardoso”, outros monopólios que tem como sócios Newton Cardoso e Newton Cardoso Jr., conhecidos latifundiários e parlamentares que impulsionaram a apropriação das terras e são denunciados por grilagem. Ao todo o latifúndio ocupa 34 mil hectares, diversas destas terras sobrepostas em territórios tradicionais.

Em outubro de 2017, os geraizeiros ocuparam parte de seus territórios invadidos e formaram o Acampamento Alvimar Ribeiro dos Santos que resistiu a diversas tentativas de despejo.

Leia também: MG: PM age como capanga dos monopólios de monocultura de eucalipto em Grão Mogol

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin