Urgente: Nova ordem de despejo é emitida contra Acampamento Tiago dos Santos

Não completaram-se dois meses desde a chacina que ceifou a vida de quatro camponeses acampados em Nova Mutum Paraná, Rondônia, um novo ataque é anunciado na mesma cidade, também levado a cabo pelo velho Estado em conluio com o latifúndio. O alvo é o Acampamento Tiago dos Santos, onde vivem mais de 800 camponeses organizados pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP). A nova ordem de despejo foi emitida em 28 de setembro pela "justiça" em  favor do latifundiário e grileiro, Galo Velho. 

A ordem de despejo, que já autorizou o “uso de reforço policial” para efetuar a expulsão, vem após recentes e sucessivos ataques das forças policiais e pistoleiros direcionados ao Acampamento Tiago dos Santos e Acampamento Ademar Ferreira, onde viviam os camponeses assassinados em agosto. 

O Acampamento Tiago dos Santos   

A área ocupada faz parte de um grande latifúndio de mais de 57 mil hectares, cujo suposto proprietário seria a empresa Leme Empreendimentos Ltda, de propriedade de Antônio Martins (Galo Velho), citado no Livro Branco de Grilagem de Terras como grileiro de mais de 80 mil hectares de terras na região de Porto Velho, capital de Rondônia.

Desde que a área foi ocupada, em março de 2020, as famílias camponesas vivem e produzem. Naquelas terras que antes se encontravam paradas, sem qualquer utilidade, a organização popular fez o corte popular e entregou terra para os muitos desempregados que se juntaram aos camponeses pobres sem terra nos últimos anos de pandemia, crise e fome. Buscaram e conseguiram um pedaço de terra para nela viver com dignidade. Essas massas, após já terem resistido às tentativas de despejo (como a ocorrida em 10 de outubro de 2020, onde os trabalhadores impediram um massacre da Polícia Militar e, diante da tentativa de expulsão, dias depois os camponeses reocuparam as terras), estão novamente ameaçadas.

Leia também: Acampamento Tiago dos Santos é cercado pela PM, resiste e impede novo

Camponeses em meio a resistência ocorrida em outubro de 2020. Foto: Banco de dados AND

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin