Tiago dos Santos/RO: Cerco policial prossegue durante toda quarta-feira; camponeses não se intimidam

Ao anoitecer as tropas policiais realizam despejo ilegal contra as famílias da Área Tiago Campin dos Santos. Foto: Reprodução

Em mais um vídeo enviado ao Jornal A Nova Democracia no dia 20 de outubro, os camponeses de Rondônia relatam que persiste o cerco ilegal e covarde da Polícia Militar de Rondônia (PM-RO), Força Nacional de Segurança Pública e outras unidades de órgãos de repressão. O despejo ilegal e arbitrário seguiu pela noite e pelo menos 17 caminhonetes estão dentro da Área Tiago Campin dos Santos em Nova Mutum em Rondônia.

Os vídeos mostram a chegada das tropas ao anoitecer exigindo que as famílias saíssem naquele instante. Os militares adentraram vários barracos, retirando pertences, afirmando que as moradias seriam destruídas. Questionado por uma camponesa se a operação deveria ser realizada mais cedo, o policial nada respondeu.

Em diálogo registrado em um dos vídeos é possível identificar que algumas crianças jogaram pedra na PM. Uma outra camponesa comentou: “é pouco pra eles”. Mulheres e crianças se perguntavam para onde eles seriam levados.

Em um dado momento, um militar da tropa reacionária ameaçou os camponeses dizendo: “Se os senhores insistirem em não sair teremos que usar a ‘força policial’”.

Indígenas que estavam na área também presenciaram a investida da PM e afirmam que não havia Oficial de Justiça. Eles disseram que o policial mostrou apenas um papel que não era de fato um mandado de reintegração de posse.

Crianças passam dias sem comida; camponeses denunciam velho Estado

Uma parte das famílias expulsas durante a noite da Área Tiago Campin dos Santos foi levada para um local na Vila da Penha organizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e da Família (Semasf) de Rondônia. Policiais fortemente armados e portando também sprays de pimenta escoltavam as famílias durante a repugnante ação. 

Mesmo diante da tentativa policial de suprimir o ânimo das massas, os camponeses seguiam altivos nas inúmeras denúncias contra o velho Estado.

Em um vídeo gravado na manhã de hoje, 20, na chegada de um visitante ao local, uma camponesa exclama: “Comida para as crianças!”, e denuncia: “As crianças estão com fome, fomos despejados a noite, 18h30, e agora que chegamos no lugar... As crianças tudo com fome! Isso é irresponsabilidade do Estado! Crianças com malária, pai de família com malária e trazem para um lugar deste que nem comida tem!”.

“O meu filho está sem comer desde ontem. A culpa é do Estado! A culpa é do Estado porque o Estado sabia quantas pessoas tinham dentro do acampamento!”, denunciou a camponesa.

Os trabalhadores da Semasf de Rondônia relatam que não há infraestrutura para receber a quantidade de famílias que poderão ser despejadas. Eles denunciam que a Polícia Militar os enganaram, afirmando que chegariam algumas famílias e sem mudanças, porém em meio ao despejo, os militares exigiram que as centenas de famílias retirassem os pertences mesmo sem um local para realocá-los.

Os trabalhadores também repercutem a grave denúncia de que os camponeses estão sem comer há dias, pois as tropas têm proibido as famílias de comprarem mantimentos. Eles afirmam ainda que não foi permitido aos advogados e que os camponeses que exigem seus direitos não os ouvirão.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin