Organizações democráticas e revolucionárias em todo o mundo se solidarizam com a LCP

Entre o final de outubro e início de dezembro, ativistas revolucionários na França, Noruega e Canadá realizaram ações em apoio à Liga dos Camponeses Pobres (LCP). Também foram publicadas notas de solidariedade assinadas por organizações revolucionárias e jornais democráticos, entre eles o Partido (marxista-leninista) dos Trabalhadores da Espanha e o jornal do Partido Comunista da Finlândia.

As demonstrações de solidariedade internacional ocorreram no contexto da Operação “Nova Mutum”, conduzida por mais de 3 mil militares e que tinha o objetivo de despejar cerca de 800 famílias que vivem e produzem há vários anos nas Áreas Tiago Campin dos Santos, Ademar Ferreira e 2 Amigos, no distrito de Nova Mutum Paraná, Rondônia (RO). As forças de repressão contra os camponeses eram conformadas pela Força Nacional do fascista Bolsonaro e pela Polícia Militar do governador coronel Marcos Rocha, marionete de latifundiários, comandadas pelo secretário de segurança Hélio Pachá, o carniceiro de Santa Elina.

Apesar do terrorismo policial, a tentativa de expulsão das mais de 800 famílias foram derrotados pela resistência camponesa combativa, dirigida pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP). No dia 27/11, as famílias retornaram aos seus lotes.

Comitê de Luta da Noruega realiza ações de solidariedade

No início de dezembro, na Noruega, ativistas do Comitê de Luta penduraram faixas em apoio à LCP na cidade de Bergen.

Ações na Noruega. Foto: https: tjen-folket.no

Na cidade de Kristiansand, os ativistas da organização realizaram uma ação internacionalista em apoio à LCP e colaram cartazes sobre o assunto.

Ações na Noruega. Foto: https: tjen-folket.no

Ativistas franceses levantam solidariedade internacional com a LCP

Em 23 de outubro em Lannemezan, na França, durante uma manifestação pela libertação de Georges Ibrahim Abdallah (comunista e militante pela libertação do povo palestino), ativistas que apoiam a Revolução Agrária brasileira levantaram bandeiras da LCP e usaram bonés da organização camponesa.

Uma faixa escrita Viva a Intifada [rebelião popular de massas palestina]! Viva os camponeses pobres do Brasil! Viva a LCP! foi pendurada em uma ponte no percurso do evento. Além disso, uma bandeira do LCP foi hasteada bem alto durante a manifestação e uma foto de solidariedade aos camponeses brasileiros foi tirada do lado de fora da prisão de Georges Abdallah. Por fim, palavras de ordem como: Rondônia, Palestina! Viva a Intifada! foram entoadas.

Manifestação na França. Fotos: Comite Nouveau Brésil

Pichações ‘Viva a LCP’ são vistas no Canadá

A Frente dos Trabalhadores Comunistas (Comitê de Organização) realizou pichações e colagens de adesivos em apoio à LCP no Canadá. As pichações e os adesivos continham a frase Viva a LCP!

Pichação no Canadá. Foto: Frente dos Trabalhadores Comunistas (Comitê de Organização)

Partido (marxista-leninista) dos Trabalhadores lança nota em apoio à LCP

O Partido (marxista-leninista) dos Trabalhadores da Espanha lançou uma nota em apoio à LCP, no final do mês de outubro. A nota afirma que a Operação “Nova Mutum” “faz parte de um dos muitos ataques dentro da campanha de assédio armado que o governo reacionário de Bolsonaro vem realizando contra os militantes do LCP e de um cerco militar contra seus acampamentos e áreas libertadas”.

E também explica que o velho Estado brasileiro “orquestra seu ataque contra os acampamentos de Tiago Campin dos Santos e Ademar Ferreira no distrito de Porto Velho (estado de Rondônia) para defender os interesses da família Leite e do fazendeiro Antônio Martins dos Santos”.

Os revolucionários explicam que acampamentos e Áreas conquistadas pelo LCP oferecem uma nova vida às massas: “Em Porto Velho, o que antes era um imenso lote ilegal de propriedade dos latifundiários, para uso privado para continuar aumentando seus lucros, hoje [...] se cultiva feijão, milho, banana, abóbora etc. e centenas de casas são construídas para as mais de 800 famílias”.

Além disso, dizem que a Assembléia Popular e “seu processo de definição em amplas discussões de massas” conformam o cotidiano nos acampamentos.

O Partido (marxista-leninista) dos Trabalhadores também rechaça o assassinato dos camponeses Amarildo, Amaral e Kevin, em 23 de setembro, três policiais à paisana assassinaram dois camponeses e feriram um terceiro em Porto Velhoe afirma que “denunciamos com firmeza a política genocida e reacionária de Bolsonaro contra a luta dos camponeses pobres”. Os revolucionários finalizam o texto com Terra para quem nela trabalha! e Morte ao latifúndio.

Imagem: Reprodução

Jornal democrático finlandês publica nota sobre luta da LCP

O jornal O Comunicador (Tiedonantaja em finlandês), do Partido Comunista da Finlândia, publicou uma nota no final de outubro em que explica os recentes ataques contra os camponeses pobres no Brasil e a LCP e aborda sobre a história e atuação da organização camponesa. A matéria foi feita com base no relato de um ativista, “Matti”, que participa da campanha de solidariedade finlandesa pela LCP.

No texto, o jornal democrático afirma que o Brasil é um país semifeudal, oprimido principalmente pelo imperialismo ianque e onde nunca ocorreu uma revolução democrática.

O ativista relata que atualmente a LCP é muito forte em Rondônia. Com as lutas recentes, “o movimento está se espalhando também em outras partes do Brasil”. O jornal destaca que os camponeses se organizam para tomar as terras do latifúndio e constroem escolas populares e outras infraestruturas, e frisam a importância das Assembléias Populares.

Além disso, os “ataques criminosos de policiais militares e do latifúndio” contra os camponeses e membros da LCP foram denunciados pelo jornal, como os assassinatos de Cleomar Rodrigues, em 2014, e, recentemente, dos camponeses Amarildo, Amaral e Kevin. A nota aponta que o velho Estado brasileiro está “claramente atacando as lideranças da LCP” e que, por conta do apoio internacional que a luta dos camponeses recebeu, um outro massacre (como o de Corumbiara) não foi cometido.

Segundo o ativista, “a luta dos camponeses revolucionários brasileiros na Finlândia tornou-se visível precisamente com a campanha de solidariedade à LCP. [...] A campanha em andamento fez com que as pessoas falassem sobre o assunto. A campanha finlandesa também foi ouvida entre os camponeses do Brasil e tem sido bem recebida por lá”.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin