Trabalhadores da Eletrobras deflagram greve por tempo indeterminado!

Eletricitários de Furnas deflagram greve por tempo indeterminado. Foto: Reprodução.

No dia 17 de janeiro, cerca de 80% dos trabalhadores de unidades da Eletrobras em todo o Brasil deflagraram uma greve por tempo indeterminado. Os eletricitários lutam para defender seus direitos e contra os abusos e arbitrariedades cometidos pela direção da empresa a mando do  governo militar e vende-pátria de Bolsonaro/generais que vem privatizando toda a estatal.

O estopim para a greve foi a tentativa da direção da empresa de cobrar preços abusivos nos planos de saúde dos trabalhadores. Os funcionários denunciam também que a empresa vem alterando resoluções internas de forma unilateral. Além disso, existem também denúncias de práticas recorrentes de coação e assédio dentro das unidades.

Leia Também: Mergulho na escuridão: a venda da Eletrobras

Unidades da Eletrobras no Rio de Janeiro, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais e São Paulo amanheceram, no dia 17 de janeiro, com faixas e cartazes convocando os trabalhadores a aderirem à greve.

A Associação dos Empregados da Eletrobras (Aeel) divulgou ainda uma nota denunciando a iniciativa dos diretores da Eletrobras, principalmente de Luiz Augusto Figueira, de alterar os valores pagos aos planos de saúde em plena pandemia. A entidade disse ainda que a greve faz parte de uma mobilização em defesa da soberania do país, dos empregos e dos direitos trabalhistas. 

A greve é feita por conta do aumento nos preços dos planos de saúde dos trabalhadores e os abusos cometidos pela direção da empresa. Foto: Reprodução.

LEIA TAMBÉM: Privatização da energia elétrica é aprovada

Sindicatos que representam os trabalhadores da Eletrobras e de Furnas, lançaram também um outro documento, chamado Boletim Intersindicais Furnas, no qual denunciam as tentativas dos patrões de coagir os trabalhadores para desmobilizar a greve. Denunciam os trabalhadores: “Parece que Furnas virou o laboratório do medo e da coação. A vanguarda do atraso. Não existe uma greve que não seja precedida de terrorismo direto nos emails da força de trabalho. E com o teletrabalho isso só se agravou. Diretores covardes, submissos às imposições da holding, passaram a dar ordem aos superintendentes e gerentes para estabelecerem o caos, a insegurança e o medo nos grupos de whatsapp dos departamentos com ameaças e intimidações aos movimentos grevistas ou a qualquer resistência”.

Os eletricitários denunciam ainda que o rebaixamento das condições de trabalho, demissões e sucateamento são passos que tem por objetivo final a total privatização do serviço energético nacional. Este fato fará com que o serviço prestado à população seja ainda mais caro e de baixíssima qualidade. Com a privatização os lucros da Eletrobras terão que ser maximizados em cima do suor e sangue dos demais trabalhadores, tudo isto para cobrir dividendos e enriquecer os acionistas privados.

 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin