RJ: Profissionais da saúde e usuários protestam em frente a clínica da família de São Cristóvão

Profissionais da saúde e usuários fazem protesto em defesa da saúde pública. Foto: Banco de Dados AND.

Profissionais da Saúde e usuários fizeram um protesto no dia 11 de fevereiro em frente a clínica da família Ernesto Zeferino Tibau Jr, em São Cristóvão. Os manifestantes exigiram melhores condições de trabalho, reajuste e equiparação salarial, melhor infraestrutura e um sistema de saúde público, gratuito e de qualidade. Participaram do ato o Movimento Classista em Defesa da Saúde do Povo (Moclaspo) e o Movimento dos Usuários da Saúde de São Cristóvão (Musc).

No protesto, cerca de uma dezena de manifestantes exibiram faixas e cartazes em defesa da saúde pública e exigindo que as suas demandas fossem atendidas pela prefeitura do Rio. Os trabalhadores questionaram o fato de que os profissionais que atuam nos bairros de São Cristóvão, Benfica, Caju, Estácio e Mangueira recebem menos do que seus colegas que trabalham em outros bairros.

Usuária posa com cartaz do Musc. Foto: Banco de Dados AND.

Em uma das falas, um integrante do Movimento Classista em Defesa da Saúde do Povo (Moclaspo), disse que é preciso a participação de toda comunidade na luta em defesa da saúde pública: “Viemos enfrentar a chuva e o descaso do governo, vamos trazer o bairro inteiro, tragam seus vizinhos, vamos fazer o pessoal do morro descer, Tuiuti, Barreira do Vasco e Mangueira. Não vamos permitir que esses bairros sejam tratados como de ‘segunda categoria’”.

Em São Cristóvão, moradores protestam contra o sucateamento das clínicas da família do bairro. Foto: Banco de Dados AND.

Com a ajuda de um megafone, os trabalhadores exigiram o fim das filas de espera no Sistema Único de Saúde (SUS), a reforma e ampliação das recepções das unidades, que mais remédios sejam distribuídos pelas farmácias das clínicas e demais melhorias.

Leia Também: RJ: Profissionais da saúde e usuários fecham avenida Presidente Vargas em protesto contra o prefeito Eduardo Paes

Os profissionais de saúde alegam que durante todos esse ano de pandemia atuaram na linha de frente de combate ao coronavírus, fazendo horas extras, trabalhando feriados e fins de semanas e etc, porém mesmo assim não estão sendo valorizados pelo governo. Os trabalhadores denunciam que o prefeito, Eduardo Paes, faz da saúde um comércio e busca trocar saúde por voto. Uma das faixas dizia: Prefeito a saúde das famílias de São Cristóvão não pode valer menos!

O protesto aconteceu em frente a clínica da família Ernesto Zeferino Tibau Jr, próxima a Feira de Tradições Nordestinas. Foto: Banco de Dados AND.

Um dos usuários da clínica da família presentes no protesto, destacou em entrevista ao AND que estava no ato mesmo sentido dores, pois considera que somente com a luta dos próprios moradores serão capazes de alcançar uma saúde de melhor qualidade.

Eu sou dependente da clínica da família, eu estou na rua com febre e com o pé inchado e estou na rua lutando pela minha saúde. É importante demais lutarmos juntos pela saúde. Destacou o usuário.

Durante o protesto, os manifestantes gritaram palavras de ordem como : A nossa luta é todo dia, porque saúde não é mercadoria! O SUS é meu, é seu também, vem pra rua vem!

Manifestantes exibem faixa para motoristas que passavam pelo ato. Foto: Banco de Dados AND.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin