PR: Estudantes e professores de odontologia participam de atividade com filhos de trabalhadores em Maringá

Reproduzimos a nota publicada originalmente no portal da Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia (ExNEPe) sobre a atividade realizada pelo projeto Escola do Bairro em parceria com estudantes e professores do curso de odontologia da Universidade Estadual de Maringá (UEM), no Paraná.


Projeto Escola do Bairro realiza atividade em parceria com estudantes e professores do curso de Odontologia da Universidade Estadual de Maringá

Estudantes de odontologia examinam crianças durante atividade em bairro de Maringá. Foto: Reprodução

Na manhã do dia 19 de fevereiro, cerca de 60 alunos e professores do curso de Odontologia da Universidade Estadual de Maringá (UEM) atenderam as mais de 30 crianças que frequentam o projeto Escola do Bairro desenvolvido com o apoio da Executiva Paranaense de Estudantes de Pedagogia (ExPEPe).

Durante a atividade foram preparados lanches para as crianças. Foto; Reprodução.

Durante a atividade foram preparados lanches para as crianças. Foto; Reprodução.

Na atividade, os estudantes puderam pôr em prática muito do que estudam, testando seus conhecimentos e se desafiando a trabalhar em circunstâncias um tanto adversas.

O local onde se desenvolve a Escola do Bairro não possui qualquer semelhança com um consultório odontológico, contudo isso passou longe de ser um empecilho para os estudantes e professores cheios de ânimo e disposição. Para atender às crianças e poder limpar cáries, fazer raspagens, passar selantes, realizar restaurações, extrações e vários outros procedimentos, os voluntários utilizaram da mesma estrutura da qual a Escola dispõe: mesas e cadeiras escolares, além de tatames de EVA.

Com esses materiais, os dentistas montaram seus “consultórios” e deram uma enorme demonstração de disposição e interesse em estar ao lado do povo, colocando a universidade pública à serviço de seus interesses e necessidades.

As crianças junto com os estudantes e professores montaram uma espécie de "consultório" improvisado, com mesas e cadeiras. Foto: Reprodução.

Atividades artísticas e culturais também foram realizadas, com o objetivo de conscientizar os filhos do povo, para o cuidado com a saúde bucal. Foto: Reprodução

Durante toda a atividade, era visível a animação entre as crianças e os voluntários, que estavam divididos em estações de trabalho. Nessas estações, as crianças passaram por diversas atividades: explicações sobre como realizar a higiene bucal adequadamente; escovação supervisionada; distribuição de kits com escova, pasta e fio dental; realização de desenhos temáticos; pintura facial e várias outras dinâmicas.

Uma estudante faz orientações sobre os cuidados a serem tomados para a correta higienização bucal. Foto: Reprodução.

Crianças e pais exibem escovas de dentes. Foto: Reprodução.

Pais recebem dos estudantes orientações e materiais de higienização. Foto: Reprodução.

Enquanto atendiam às crianças, os dentistas registravam as necessidades de cada paciente, como cirurgias ou outros procedimentos de maior complexidade, os quais não poderiam ser realizados no momento. Assim, ao término dos atendimentos, foi conversado entre os profissionais, as mães e os professores da Escola para dar continuidade aos tratamentos na própria Universidade, levando as crianças até lá.

Este momento será, sem dúvida, um próximo e importantíssimo passo na aplicação da consigna de “derrubar os muros da universidade”, tão bem materializada nesse memorável sábado.

Com tal comprometimento e dedicação, os estudantes (maioria entre os dentistas) prestaram um ótimo serviço à população e puderam avançar na sua formação profissional, mas também elevaram a extensão universitária a outro patamar e fizeram uma contundente defesa do caráter público da instituição em que estudam. Num contexto onde severos cortes e a Educação à Distância (EAD) buscam ferir de morte o Ensino Superior Público e Gratuito, tal atividade foi uma cabal defesa da educação presencial e gratuita, ligando teoria e prática e colocando a universidade a serviço do povo.

Viva a Escola do Bairro!

Derrubar os muros das universidades!

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin