RJ: Trabalhadores do teatro em luta contra ameaça de despejo

Imagem da encenação de Morte e Vida Severina pela Companhia Ensaio Aberto. Foto: Companhia Ensaio Aberto

No dia 4 de maio, o teatro Armazém da Utopia e a Companhia Ensaio Aberto convocaram, através de suas redes sociais, seu público e apoiadores a manifestarem-se contra uma ameaça de despejo que havia sido marcada para o dia 05/05. Apesar da suspensão do despejo no mesmo dia, os trabalhadores dizem manter-se em estado de alerta para resistir contra qualquer ataque.

O teatro resulta da ocupação, desde 2010, da área da União correspondente ao armazém 6 e anexos 5 e 6 na Zona Portuária do Rio de Janeiro. Desde então, o Armazém, sob administração da pela Cia. Ensaio Aberto, tem servido de espaço para espetáculos de teatro, festivais e exposições.

Leia também: Teatro para o povo: Uma companhia e suas brigadas

Nos últimos anos, o Armazém tem sido ameaçado de despejo desde 2019 devido a uma disputa com a Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), que chegou a trancar com cadeado os portões do armazém, impedindo a entrada dos trabalhadores.

Estes conflitos têm se intensificado em meio à revitalização do porto (o Projeto Porto Maravilha), que aumentou o interesse de grandes empresas na região, como a arrendatária Pier Mauá. Ademais, o governo municipal vem impulsionando projetos objetivando a criação de uma espécie de “Vale do Silício” carioca – o chamado “Porto Maravalley” –, que buscam o investimento de capital imperialista em tecnologia de ponta no porto.

Em março de 2022, após pressão de ativistas de cultura e da comunidade, foi sancionada a Lei Complementar Nº 246, garantindo o uso restrito do armazém e dos anexos para atividades culturais e sociais.

A ameaça de despejo ocorre às vésperas da estreia da temporada de Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto, que se dará no dia 06/05.

A nota completa pode ser lida abaixo.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin