RJ: Advogado do povo Dr. Marino D’Icarahy é absolvido

Ontem, dia 06 de julho, o Advogado do Povo e defensor dos ativistas perseguidos políticos da Copa da Fifa, Marino D’Icarahy Júnior, foi absolvido em um dos três processos movidos contra ele. A absolvição foi concedida em segunda instância pelos desembargadores da 5ª Câmara Criminal, por dois votos a um.

O resultado da audiência é considerado, por organizações populares e democráticas, uma vitória da decidida campanha que tem sido movida na defesa dos advogados que atuam em defesa dos direitos do povo. E há ainda muita luta pela frente.

O Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo), principal articulador da campanha no país, denuncia desde 2016 a perseguição contra o Advogado Marino, como expressão da perseguição aos advogados que atuam em defesa dos direitos do povo. Reproduzimos a seguir trechos da nota publicada pela entidade em fevereiro de 2016:

“A perseguição e criminalização dos advogados democráticos que assumem a defesa dos ativistas e lutadores têm acontecido, historicamente, nos momentos em que cresce a luta do povo por seus direitos. Nos últimos anos, com o povo brasileiro se levantando em manifestações e revoltas por todo o país, cresceram também as ameaças e a criminalização dos advogados do povo.
Este problema tem aumentado bastante no campo com o assassinato recente e brutal de várias lideranças camponesas. E os advogados do povo, que defendem os direitos dos camponeses na luta pela terra, seguem sendo perseguidos, ameaçados e, em muitos casos, também assassinados.
Neste quadro, a atuação dos advogados do povo torna-se fundamental. Além da defesa daqueles que estão sendo perseguidos, presos e acusados por estarem lutando por direitos, a sua tarefa é também a de buscar garantir, no exercício da defesa dos acusados, a liberdade de expressão e manifestação para ambos. E nesse trabalho, eles têm exposto abertamente o caráter de classe do Estado brasileiro, denunciando ainda os instrumentos usados para reprimir o povo em luta, como a escalada das leis de exceção e as ações punitivas do Judiciário nessa perseguição.”
Após o resultado da audiência que decidiu por sua absolvição, Marino D’Icarahy saudou, em sua página pública, a firme campanha desenvolvida em sua defesa, como parte da luta pela defesa dos Advogados do Povo, e também a atuação de sua defesa jurídica:  “Quero agradecer a todos e todas que, de alguma forma, apoiaram e contribuíram para esta importantíssima vitória, que não é minha, mas, de toda a advocacia e daqueles que dependem do trabalho de um advogado em situações extremas. Quero agradecer, em especial, aos meus Colegas Rafael Vitagliano e Renato Teixeira, jovens advogados da CEDAP/OAB-RJ que participaram da minha defesa, e, particularmente, ao Dr.Luciano Bandeira, Presidente da Comissão de Defesa das Prerrogativas da OAB/RJ, que, mesmo não sendo um criminalista, abraçou a causa com paixão, dedicação, empenho e com uma competência brilhante. […] Foi tudo muito difícil, mas a vitória foi retumbante! ADVOGAR NÃO É CRIME! LUTAR NÃO É CRIME! VALE A PENA LUTAR!”

Entenda o caso
O Advogado Marino D’Icarahy representa 12 dos 23 ativistas que foram perseguidos (19 presos) pelo velho Estado por denunciar e lutar contra os crimes da Copa da Fifa que desviou bilhões dos cofres públicos, e ficou conhecido por sua firme e intransigente atuação na defesa dos direitos de manifestação. Denunciou as articulações policiais e jurídicas na perseguição política de ativistas durante as Jornadas de Junho de 2013.

No decorrer dos julgamentos na defesa de seus clientes, a postura combativa do advogado Marino perante os algozes do povo, despertou a ira de muitos, dentre eles juízes e certos setores do judiciário, fato que lhe rendeu os processos pelos quais responde judicialmente. Frente toda essa perseguição, o Advogado Marino sempre se manteve firme.

Em entrevista concedida ao jornal A Nova Democracia de novembro de 2016, o Dr. Marino nos falou sobre a perseguição política: “Essa perseguição que tenho sofrido é resultado do trabalho jurídico que fizemos em defesa dos lutadores do povo. Certamente, esse sofrimento reflete a medida do golpe que nós estamos dando em nosso inimigo de classe. Se a gente não tivesse incomodado o inimigo, ele não estaria preocupado e empenhado em nos espancar”.

O jornal A Nova Democracia continuará noticiando a situação e divulgando a luta em defesa dos advogados do povo. Acompanhe nossa edição impressa e nosso portal.

 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin