Temer manda Forças Armadas reprimir o povo no Rio de Janeiro

A- A A+

Fotos - Ellan Lustosa/AND

Desde as 14 horas desta sexta-feira, 28/07, mais de 10 mil homens das Forças Armadas, Força Nacional e Polícia Rodoviária Federal ocupam as vias de acesso das principais favelas do Rio de Janeiro. Com blitz nas principais avenidas o trânsito no final de tarde ficou caótico.

O decreto de "Garantia da Lei e da Ordem" foi assinado pelo reacionário e ilegítimo Michel Temer hoje de manhã, autorizando o uso das Forças Armadas. As tropas poderão ocupar as ruas do estado do Rio de Janeiro até 31 de dezembro de 2017.

Segundo o Ministro da Defesa, a ação das Forças Armadas será de "apoio à ação das polícias militar e civil", dando ênfase no "trabalho de inteligência". Dos 10 mil, 8,5 mil são soldados das Forças Armadas.

No entanto, os militares já ocupam a Linha Vermelha, o Arco Metropolitano, a região de Niterói e em outras regiões de grande fluxo de massas.

Militares também cercam o complexo do Chapadão, na Zona Norte do Rio, e moradores denunciaram ao AND que tanque do Exército ocupa a entrada do complexo.

O complexo do Chapadão diariamente é alvo de operações abertas ou clandestinas das forças policiais do velho Estado que aterrorizam as massas, conforme denunciado recorrentemente nas páginas de AND.

Guerra Civil Reacionária

"Vamos ser claros: nós vamos estar em uma espécie de guerra", declarou em entrevista o Ministro da Defesa, Raul Jungmann, neste 27/07.

Os fatos e declarações das "autoridades" confirmam os apontamentos de AND sobre a cada vez mais aberta guerra civil reacionária que se desenvolve em nosso país. 

Em grave crise que empurra o Brasil para a barbárie e num plano inclinado à violência, as "autoridades" lançam mão de suas forças de repressão para banhar em sangue as massas mais empobrecidas.

Tudo indica que o envio de tropas aumentará a insegurança da população favelada. O estado de calamidade que afeta principalmente o povo pobre jogado no desemprego e à falta de serviços públicos, principalmente no que tange à saúde, motiva o protesto popular que deverá ser reprimido com singular violência pelas Forças Armadas.

 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza