Iraque: Soldados ianques aniquilados próximo a Mosul

A- A A+

Tropas do USA foram atacadas por combatentes da Resistência nacional iraquiana em Tal Afar, a oeste de Mosul, no dia 13/08. Dois soldados ianques foram aniquilados e cinco feridos.

Os ataques foram realizados enquanto as tropas ianques realizavam operações de combate no norte do Iraque. A Resistência utilizou foguetes para repelir os invasores.

Este é o primeiro ataque contra as tropas ianques que a Resistência empreende depois da decisão de evacuar Mosul em direção às montanhas Hamrin para aplicar principalmente a guerra de guerrilhas.

Longe de ser uma vitória, a ocupação de Mosul pelas forças apoiadas pelo USA em julho, após 9 meses de combates e mobilização de enorme aparato militar, foi um fracasso operacional.

“A ralé de poucos milhares [6 mil] de combatentes do Estado Islâmico foi capaz de manter o controle de Mosul por nove meses, contra ao menos 100 mil [soldados] das forças apoiadas pelo USA”, avaliou o major John Point, da Academia Militar do USA, em entrevista ao Wall Street Journal, em 20/07.

Táticas guerrilheiras

As montanhas Hamrin, onde estão atuando os combatentes da Resistência, ficam em volta da fronteira com o Irã, ao longo da borda sul da província de Kirkuk até o rio Tigris. Elas oferecem aos combatentes esconderijo e acesso fácil a quatro províncias diferentes do Iraque.

“As batalhas serão muito mais difíceis”, admitiu Lahur Talabany, dirigente curdo financiado pelo USA, em entrevista à Reuters em fevereiro.

As forças de ocupação também se preocupam com o fato de ex-oficiais de inteligência do Partido Baath terem se unido ao Estado Islâmico.

“Espera-se que esses astutos estrategistas militares e seu Partido Baath sejam a nova geração de líderes do Estado Islâmico”, lamentou Talabany.

O Partido Baath é o partido que dirigiu a guerra de resistência nacional quando da invasão ianque em 2003. O presidente Saddam Hussein o encabeçou até sua captura no mesmo ano.

Ataque em base militar aniquila 7

Em outro ataque, os combatentes aniquilaram sete membros das forças apoiadas pelo USA durante uma ação na base militar de Baiji, ao norte de Bagdá, no dia 16/08.

Além dos aniquilados, outros seis soldados ficaram feridos por disparos que se seguiram, segundo pronunciamento do Ministério do Interior do Estado títere.

A cidade de Baiji é chave, pois ali estão instaladas as maiores refinarias de petróleo do país.

Baiji ficou sob controle da Resistência nacional até o final de 2015, quando foi tomada por forças dirigidas pelo USA.

USA bombardeia a Cidade Velha de Mosul um dia após declaração de "vitória", 11/07.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira