‘Nós só matamos negros’, afirma policial ianque

A- A A+

Uma patrulha policial do estado de Virgínia foi flagrada, em julho do ano passado, afirmando que a polícia ianque mata somente pessoas negras. O caso, que ocorreu no condado de Cobb, expõe a verdadeira razão por trás das numerosas assassinatos de negros por policiais no USA: uma guerra da burguesia monopolista ianque contra o proletariado.

Na ocasião, uma mulher branca foi abordada pela polícia e, por estar dirigindo embriagada, teve seu carro apreendido.

Durante o procedimento de detenção, o policial ordenou à mulher que pegasse o celular para ligar a um parente, a que a mulher afirmou que tem "medo de abaixar as mãos", pois já viu "muitos vídeos da polícia", referindo aos constantes flagrantes de assassinatos policiais em abordagens.

O policial então instantaneamente afirmou: "Mas você não é negra. Lembre-se: só matamos negros". "Sim, só matamos os negros, certo? Nos vídeos que você viu haviam brancos sendo mortos?", enfatizou.

O policial, identificado como Greg Abbott, confirmou, por meio de seu advogado, que irá adiantar sua aposentaria, dadas as circunstâncias. Nada indica que ele será responsabilizado pela criminosa declaração.

O vídeo que gravou a afirmação vazou em meio a uma escalada da guerra contra o proletariado no USA promovida pela polícia ianque, e da ascensão de grupos neonazistas e fascistas alimentados pelas políticas de Estado.

Os dados são escandalosos. No ano passado, apenas no primeiro semestre (de janeiro a julho), foram mais de 100 pessoas negras assassinadas pela polícia no USA.

Isto é fruto da política de maior reacionarização do Estado imperialista ianque, que avança na militarização e na violência contra as massas empobrecidas. Os negros, árabes e hispânicos conformam os setores mais fundos do proletariado e do povo, e por isso são os principais alvos da guerra reacionária movida pelas forças policiais.

licença para matar

A isto, soma-se a impunidade aos crimes policiais contra o proletariado estadunidense.

Um exemplo ocorreu com o policial que assassinou o motorista negro Philando Castile no ano passado e que foi absolvido pela "justiça" ianque, em 16/07 deste ano. Castile, 32 anos, foi assassinado pela polícia dentro de seu carro estacionado, na presença de sua companheira e de sua filha de 4 anos, no dia 6 de julho de 2016.

A "justiça" considerou que a alegação do policial assassino o inocenta do crime. Ele alegou que Castile "parecia suspeito" de envolvimento em um roubo e que este teria se movido durante a abordagem. Castile não estava armado.

A decisão causou indignação na família. "Estou furiosa. Sim, estou furiosa", desabafou a mãe de Castile, Valerie. "O sistema segue falhando com os negros e seguirá assim", concluiu.

Familiares e amigos de Castile após a decisão da "justiça" ianque. Esgotam-se pouco a pouco as ilusões das massas que lutam nas entranhas do imperialismo ianque.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza