Alemanha: Boicote eleitoral enfrenta histeria chauvinista

A- A A+

Jaílson de Souza

No dia 24 de setembro realizou-se, na Alemanha, a farsa eleitoral para conformar o novo governo imperialista. Os dois principais candidatos, Angela Merkel (União Democrata-Cristão, no poder desde 2005) e Martin Schulz (Partido Socialdemocrata), centraram seus embates em torno do proletariado imigrante. Vencedora da farsa, Merkel caminha ao seu quarto governo.

Além disso, esta eleição evidenciou o crescimento da extrema-direita alemã, o “Alternativa para a Alemanha”.

Somente em 2015, Merkel permitiu a entrada de 1,5 milhões de imigrantes de diferentes nacionalidades com o único objetivo de suprir as necessidades da economia imperialista alemã, pois os imigrantes aumentam a oferta de força de trabalho, jogam a média salarial para baixo e são superexplorados por serem menor remunerados.

Isto, no entanto, gera impasses. Merkel é pressionada em seu próprio partido, pois o proletariado imigrante que ela submeteu à mais brutal exploração e opressão chauvinista, resiste com ações desesperadas e atentados nas cidadelas do imperialismo, criando oposição em seu próprio partido quanto a sua política.

Ela mesma declarou por conta disso que pretende “endurecer as regras” para os refugiados e aumentar o orçamento da repressão em 2%.

Nesse caldo de cultura chauvinista e caricato anti-imigrante, cresceu a extrema-direita, propondo “metas anuais de deportações” de refugiados.

‘Boicotar a farsa eleitoral’


Em resposta, o proletariado e revolucionários levam adiante uma vigorosa campanha pelo boicote eleitoral.

A campanha contou com pichações, cartazes e panfletos que levantaram a palavra de ordem: Não votar! Lutar e Resistir! Ações foram registradas nas cidades de Weimar e Berlim.

Em pronunciamento emitido no início de setembro, no site Dem Volke Dienen (“Servir ao Povo”, em português), os revolucionários denunciam e conclamam:

“Um terço das crianças aqui crescem na pobreza, quem não é branco e não parece alemão tem que aguentar o controle policial sem nenhuma razão. [...] Aqueles que não querem que nossas condições de trabalho e de vida se agravem, não podem dar ao sistema uma aparência de legitimidade dando seu voto na ditadura da burguesia.”.

Os revolucionários alemães ainda chamam a atenção à necessidade de um partido revolucionário do proletariado. “O que necessitamos é uma organização política distinta da dos governantes. O Partido Comunista, um partido de novo tipo, que defenda os interesses da nossa classe e de todo o povo. Um partido que não tenha nada em comum com um partido eleitoreiro burguês, mas uma máquina de combate da classe operária, com o objetivo de conquistar o Poder”, concluem.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza