MS: Vitoriosa Assembleia de Mulheres Guarani e Kaiowá!

Foto: Lídia Oliveira/Cimi

Ocorreu, nos dias 18 a 22 de setembro, a 5º Kuñague Aty Guasu (grande assembléia de mulheres Guarani e Kaiowá), na retomada Kurussu Ambá, município de Coronel Sapucaia (MS), fronteira com o Paraguai. Participaram diversas lideranças, nhaderus e nhandecys [rezadores] de todo o Mato Grosso do Sul, onde os povos indígenas seguem sua heroica batalha por território contra o latifúndio, a grande burguesia e o imperialismo. Estiveram presentes prestando solidariedade “karaís aliados”, como professores, estudantes e ativistas de organizações populares.

A assembléia foi espaço de discussão e encaminhamentos sobre a luta Guarani e Kaiowá, destacando a participação das mulheres indígenas nesta luta. Crianças, jovens, professoras, estudantes e nhandecys seguem resistindo e fortalecendo a participação feminina na resistência. Em um dos momentos, estiveram presentes representantes da Funai, entre eles o general Ribeiro de Freitas, atual presidente. Sem respostas para as reivindicações, ao militar coube apenas promessas. As guerreiras e guerreiros afirmaram que o caminho da luta segue sendo o avanço das retomadas de suas terras tradicionais. “Se o governo não concluir a demarcação de nossas terras, vamos continuar retomando nossos tekoha. Nós mesmo vamos demarcar as nossas terras”, afirmou uma das indígenas.

Uma representante do Movimento Feminino Popular (MFP) e da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) saudou calorosamente a assembléia e a luta, especialmente das mulheres indígenas. Destacou em sua intervenção a importância de unir camponeses e indígenas, pois ambos enfrentam o mesmo inimigo, reafirmando que o caminho de dos povos originários é o da Autodemarcação de suas terras, único modo dos Guarani e Kaiowá (e outras diversas etnias) garantirem seu modo de vida tradicional. Somente com uma Revolução Democrática o Brasil pagará esta divida histórica.

Link do documento final: http://cimi.org.br/pub/MS/aty-kuna-2017/2017-09-Documento-final-da-V-Kunangue-Aty-Guassu.pdf

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de Apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro

E-mail: [email protected]om
Reuniões semanais de apoiadores
todo sábado, às 9h30

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão (In memoriam)
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Taís Souza
Gabriel Artur
Giovanna Maria
Victor Benjamin

Ilustração
Victor Benjamin