Tragédia em Janaúba revela descaso contra o povo

A- A A+

Reproduzimos a nota de denúncia produzida pelo Movimento Feminino Popular e pela Liga dos Camponeses Pobres sobre a tragédia de Janaúba.

Tragédia em Janaúba

revela o descaso contra povo

Crédito- Zanone Fraissat - Folhapress

Nós, do Movimento Feminino Popular e Liga dos Camponeses Pobres, compartilhamos a dor dos familiares das crianças e trabalhadoras mortas e atingidas pelas chamas no incêndio na creche gente inocente no dia 05 de outubro, na cidade de Janaúba. Compartilhamos com pesar por este terrível acontecimento que se revelou como o desfecho de uma tragédia anunciada!

Esta terrível e chocante tragédia nos revela a situação miserável dos dois principais hospitais da “segunda maior cidade do Norte de Minas” que é o retrato do sistema público de saúde no Brasil. Diante da exigência do atendimento às vítimas não tinha sequer luva cirúrgica, agulhas, gaze, dipirona e menos ainda pomada bactericida para queimaduras.

Diante de um quadro lastimável de abandono, esse sim, CRIME PREMEDITADO DO ESTADO, que desde o governo federal, com o bandido Temer à cabeça e sua quadrilha que congelou os gastos com saúde e educação por 20 anos, cortou verbas para todos os municípios, ao governador do Estado Pimentel/PT que teve o descaramento de viajar de helicóptero com sua turma até a cidade, gastando dinheiro para se exibir afagando as mães e crianças diante da TV, enquanto dizia que tudo que podia ser feito estava sendo feito e ao Prefeito de Janaúba que ficou fazendo mil promessas demagógicas lá de Brasília e que por todos os meios tenta se livrar das responsabilidades. Também os monopólios de imprensa que aplaudiram as medidas de cortes nos gastos públicos e agora se dizem escandalizados!

O Hospital Regional de Janaúba e o Fundajan estavam prestes a fechar e os profissionais estão trabalhando sem receber há mais de 3 meses! Quantas outras crianças e demais pacientes já não morreram à míngua nestes hospitais, porque sequer foram atendidas ou foram enviadas à Montes Claros por falta das mínimas condições de atendimento, quantas não morreram neste trajeto como a criança que não suportou os ferimentos ao ser transferida!?

Sem contar, a situação absurda que se encontra em Montes Claros que recebe casos de toda a região, que tem pacientes graves, incluindo crianças e idosos amontoados nos corredores, morrendo por infecção hospitalar, por falta de leitos e pior ainda quando se trata de vaga no CTI. Esse é o retrato da Santa Casa, do Aroldo Tourinho e pior ainda do Alfeu de Quadros. No caso das crianças de Janaúba, que gerou uma grande repercussão, a solução foi dar alta forçada à vários pacientes destes hospitais, para então, receber atendimento adequado (que deveria ser para todos) os novos pacientes que chegavam.

A Tragédia em Janaúba é crime do governo Temer/PMDB/PSDB, Pimentel/PT e Isaildon Mendes/
PSDB, contra o povo!

Esta tragédia anunciada diante do quadro de doença mental que se encontrava Damião Soares dos Santos que apresentou varias manifestações de seu agravamento com delírios e declarações de que iria se matar, até o fatídico dia em que foi entregar o atestado médico, cometendo este ato insano que levou a morte de 11 pessoas, incluindo ele próprio. E qual providência foi tomada antes? Junto com Damião padecia também a sua família que acompanhando o seu drama, nada pode fazer para salvá-lo deste destino horrível. Quantos Damião não estão por ai, sendo obrigados a continuar trabalhando no serviço público, como escolas, hospitais e outros órgãos, mesmo estando doentes, porque o sistema de perícias e a burocracia do Estado nega o afastamento e
por fim o direito a um justo tratamento, diante de um quadro de sofrimento mental?

Para o povo falta terra, água, moradia, educação de qualidade, empregos dignos, tratamento de saúde e sobra violência e injustiça. Como no caso da expulsão dos posseiros das terras de Cachoeirinha, no período do regime militar fascista, onde morreram 62 crianças de fome, frio e sarampo vítimas dos ataques do coronel Georgino do 10° BPM de Montes Claros. Como ocorreu também com os quilombolas Gorutubanos.

Mas nada disso interessa para os imperialistas, burgueses e latifundiários, que além roubarem a terra destes camponeses descendentes de negros e índios; explorarem sua força de trabalho; os condenarem a quase nenhuma assistência médica e a uma educação que só com o heroísmo e a consciência de classe das professoras e demais profissionais é possível apreender alguma coisa; pois além de tudo isso, através do monopólio da imprensa essa canalha quer usurpar a dor do povo, chorar para mostrar que estão chocados, que não imaginavam que pessoas viviam nestas condições ...

O Brasil está desse jeito, numa crise profunda e esta tragédia revela como tem sido a vida de sofrimento e humilhação do povo! Só a construção de um novo Estado, Estado Popular que atenda as necessidades do povo pode dar solução aos problemas de nosso país! E este Estado não surgirá de eleições podres e corruptas e sim da luta do povo para por abaixo essa velha ordem, através de uma Revolução Democrática, que se inicia com a Revolução Agrária.



LCP - Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia

MFP - Movimento Feminino Popular

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja