RJ: Bope assassino barbariza em festa de pagode na Ladeira dos Tabajaras, denunciam moradores

A- A A+

Foto: Imagens da destruição feita por agentes do Bope. Reprodução.

Moradores acusam agentes do famigerado Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar de torturar algumas pessoas, destruir equipamentos musicais e roubar celulares, dinheiro e bebidas de comerciantes durante um pagode na Rua Euclides da Rocha, próxima a Ladeira dos Tabajaras, em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, em 30 de outubro.

Durante a operação policial na região, pelo menos três pessoas foram baleadas, incluindo a jovem Gabriele, de 23 anos, atingida na barriga, e o adolescente Robson Jerônimo, 18 anos, atingido pescoço. Além disso, os moradores denunciam que um cachorro morreu atropelado por um blindado da PM e que os policiais já chegaram atirando e agredindo qualquer um que passava em sua frente.

Relatos apontam ainda que cerca de 200 pessoas participavam do pagode, incluindo crianças, que também foram agredidas. Mulheres teriam sido chamadas de "piranhas" pelos policiais por estarem "aquela hora na rua". Imagens filmadas pela população local mostram o resultado da destruição. Quem tentava fugir da selvageria do Bope e se escondia nas lojas, era espancado de forma covarde.

Em reunião com o comandante da falida Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), uma adolescente de 16 disse que foi agredida com tapas no rosto e outra jovem de 19 anos chegou a mostrar marcas de agressão na cabeça e nas costas, adquiridas por tapas e uma coronhada de fuzil.  

Como temos denunciado a cada edição impressa de AND, os crimes contra o povo e a selvageria policial contra a população pobre das favelas do Rio têm aumentado exponencialmente como parte do incremento da guerra civil reacionária desencadeada pelas classes dominantes contra o povo brasileiro. O que ocorre nos bairros pobres da capital fluminense é o terrorismo de Estado e uma política de extermínio escancarada, e os aparatos policiais genocidas têm carta branca para assassinar.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza