RJ: Celebração da Grande Revolução Socialista de Outubro reúne mais de 100 pessoas

Ocorreu, no dia 10 de novembro, o Ato Político-Cultural em celebração do centenário da Grande Revolução Socialista de Outubro na cidade do Rio de Janeiro.

Convocado pela Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP), a celebração ocorreu no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da UFRJ, no centro da cidade. Aproximadamente 100 pessoas compareceram ao evento e vibraram com o centenário deste marco transcendental da história da humanidade.

O ato iniciou-se com o canto solene de A Internacional, o Hino do proletariado e do seu Partido. Depois foram convidados à mesa um representante da FRDDP e um do jornal A Nova Democracia.

intervenções

O companheiro de AND fez uma ampla e profunda abordagem cronológica dos fatos que antecederam a Grande Revolução Socialista de Outubro, desde os atentados dos grupos terroristas no fim do século XVIII, passando pela fundação do Partido Operário Social-Democrata da Rússia (POSDR), pelas divisões no seu seio e o papel do grande Lenin, a Revolução de 1905 e seu temporário fracasso, a luta contra os oportunistas e empiriocriticistas, até chegar na Revolução de Fevereiro e logo os preparativos que culminaram na insurreição vitoriosa de Outubro, a Guerra Civil Revolucionária que seguiu-se até a consolidação do Poder vermelho em toda a Rússia e a expulsão dos imperialistas, em 1922.

O representante da FRDDP interviu em seguida ressaltando os aspectos ideológico-políticos principais que precipitaram o triunfo da primeira revolução proletária da história da humanidade. Dentre eles, a existência de um partido revolucionário do proletariado oposto aos velhos partidos da burguesia, incluídos os aglutinados em torno da II Internacional; um partido de novo tipo, clandestino e composto pelos melhores filhos do povo que encarnam a ideologia do proletariado, compreendam as leis sociais e da luta de classes e se forjem na luta de classes como militantes de ferro para dirigir as massas à Revolução, no caminho do luminoso comunismo.

Também destacou a importância do combate ao oportunismo, luta que esteve presente durante todo o processo da Revolução, inclusive às vésperas contra os mencheviques e socialistas-revolucionários unidos à burguesia imperialista russa. Outro aspecto, apontou, foi a aliança operário-camponesa estabelecida pelo Partido do proletariado e que Lenin soube compreender ser de caráter estratégico.

Interviram ainda o Movimento Feminino Popular (MFP) destacando o papel de algumas heroínas do povo na Revolução Russa e na Grande Guerra Patriótica que esmagou a besta nazifascista. O Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR) que destacou o papel da juventude naquela Revolução, especialmente na Grande Guerra Patriótica. A Unidade Vermelha – Liga da Juventude Revolucionária (UV-LJR) que destacou a importância de a juventude lançar-se às massas, como fizera os jovens soviéticos na construção do socialismo, para que no Brasil triunfe a Revolução de Nova Democracia.

Também interviu a Associação Brasileira dos Advogados do Povo (Abrapo) saudando o evento e a importância histórica da Grande Revolução Socialista de Outubro.

Atrações culturais

O ato contou ainda com apresentações culturais produzida pela juventude da UV-LRJ e MEPR.

Ativistas da UV-LRJ apresentaram uma peça que esmiuçava as posições dos principais dirigentes do Partido bolchevique naqueles idos. Encenando reuniões do Comitê Central do Partido e agitações para as massas, os ativistas encenaram didaticamente a luta de duas linhas travadas pelo grande Lenin e pelo camarada Stalin contra Trotsky, Zinoviev e Kamenev, misturando a seriedade do tema com um toque de humor.

Os ativistas do MEPR apresentaram um coral. As canções revolucionárias Jovem guardaFora o Poder foram cantadas com todo o entusiasmo que inspiram, seguidas de aplausos.

Ao final foi cantada a canção revolucionária Bela Ciao por toda a plenária, encerrando a celebração.

Peça teatral produzida pela UV-LRJ aborda os antecedentes da insurreição de Outubro.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro